EUA precisam ser honestos sobre etanol, diz 'New York Times'

Agência ambiental americana avalia se etanol do milho é energia limpa ou não.

Da BBC Brasil, BBC

18 Novembro 2008 | 06h03

Um editorial do jornal americano The New York Times pede que a entidade de proteção ambiental do governo dos Estados Unidos seja honesta na avaliação que fará sobre o impacto do etanol no meio ambiente.O governo americano quer aumentar a produção de etanol dos atuais 7 bilhões de galões para 36 bilhões até 2022, sobretudo do etanol à base de milho. O objetivo é diminuir a dependência americana no petróleo e também procurar alternativas mais limpas.O Congresso americano estipulou que a agência ambiental do governo - a Environmental Protection Agency (EPA) - deve determinar se a produção de etanol emite menos gases nocivos ao meio ambiente do que a gasolina."Até o ano passado, o etanol de milho era visto como pelo menos neutro na emissão de gás carbônico - e portanto muito mais limpo do que a gasolina - porque os gases nocivos que ele absorve durante o crescimento (da planta) cancelariam os gases emitidos durante a combustão", escreve o jornal."Mas em seguida surgiu uma série de novos estudos argumentando que cálculos anteriores falharam em levar em consideração as emissões causadas quando a terra é devastada e arada, soltando grandes quantidades de carbono acumulado."A questão sobre o impacto ambiental do etanol está gerando "pressões ferozes" sobre a agência ambiental, afirma o editorial."Ambientalistas querem um relato honesto, algo que a população merece, mas eles não acreditam que o governo Bush, simpático à indústria, será capaz disso", escreve o New York Times."Em qualquer caso, é a função da EPA, sob a lei, dar a avaliação mais imparcial e precisa que ela consegue. O que está em jogo aqui é o destino do planeta, não de uma indústria em particular."BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.