Nicholas Kamm / AFP
Nicholas Kamm / AFP

EUA dizem não concordar com ajuda do G-7 ao Brasil para Amazônia

Segundo porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Garrett Marquis, a forma mais construtiva de auxiliar os esforços é em coordenação com o governo brasileiro

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2019 | 01h53

WASHINGTON - O governo dos Estados Unidos disse, nesta quarta-feira, 28, que não concorda com a ajuda de US$ 20 milhões, o que equivalente a R$ 83 milhões, oferecida pelo G-7 ao Brasil para combater os incêndios que se alastram pela Amazônia nas últimas semanas.

"Não concordamos com a iniciativa do G-7 que não incluiu consultas com (o presidente) Jair Bolsonaro. A forma mais construtiva de auxiliar os esforços em andamento do Brasil é em coordenação com o governo brasileiro", afirmou o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Garrett Marquis, em mensagem postada no Twitter.

O Brasil já havia recusado o auxílio financeiro oferecido pelo G-7 em anúncio feito pelo presidente da França, Emmanuel Macron.

Em um primeiro momento, Bolsonaro disse que só aceitaria a ajuda se ela viesse acompanhada de um pedido de desculpas de Macron por tê-lo chamado de mentiroso. Depois, o Palácio do Planalto não incluiu o pedido nas condições estabelecidas pelo governo brasileiro para aceitar o dinheiro disponibilizado pelo G-7.

Questionado por vários líderes mundiais sobre uma possível omissão do Brasil no combate aos incêndios na Casa Branca, Bolsonaro ganhou o apoio de Trump, que elogiou o trabalho do governo na crise.

"Cheguei a conhecer bem o presidente Bolsonaro nas nossas relações com o Brasil. Ele está trabalhando muito duro nos incêndios da Amazônia e, em todos os aspectos, está fazendo um grande trabalho para as pessoas do Brasil", disse Trump no Twitter. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.