EUA afirmam que Rio+20 é 'prioridade'

Presidente Barack Obama não vem à conferência; governo tem mostrado pouco interesse

Gustavo Chacra, correspondente

15 Junho 2012 | 23h00

NOVA YORK - A administração de Barack Obama insistiu nesta sexta-feira, 15, que a Rio+20 é uma prioridade para os Estados Unidos, apesar da ausência do presidente na cúpula da conferência, que ocorrerá na próxima semana. Autoridades americanas envolvidas nas negociações disseram temer que o documento final seja muito longo.

 

"Nós estaremos representados por um nível hierárquico elevado com a presença da secretária de Estado, Hillary Clinton", disse Todd Stern, enviado especial americano para Mudanças Climáticas, acrescentando que o presidente tem outros compromissos agendados para a mesma época. De acordo com Stern, tem havido avanços, mas há muitas divergências. Ele não quis comentar detalhes das negociações.

 

No site da Casa Branca não há nada marcado para o período entre 20 e 22 de junho, mas há informações de que o presidente tenha compromissos de campanha em Orlando e Chicago nessas datas. A ausência, segundo a secretária-assistente de Estado Assuntos de Meio Ambiente, Kerri-Ann Jones, não significa que o governo dê pouca importância ao encontro. "Esta administração trouxe uma nova energia. Obama tem se esforçado muito", disse Jones.

 

O governo americano tem demonstrado pouco interesse em relação à Rio+20 em suas páginas oficiais. O site da Agência de Proteção Ambiental (EPA) nem mesmo cita em sua página inicial a conferência. Para achar informações sobre o encontro no site, é preciso ir para o índice, onde há dados superficiais. Além disso, apesar de conhecida internacionalmente, Hillary tem o status de um ministro de Relações Exteriores, não de um chefe de Estado. Mais de cem países optaram por enviar como representante presidentes ou premiês. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.