Will Burgess/Reuters
Will Burgess/Reuters

Estado da Austrália matará tubarões que se aproximem das praias

Governo da Austrália Ocidental registrou cinco ataques fatais nos últimos 12 meses

Efe

27 Setembro 2012 | 14h16

Sydney - O governo do estado da Austrália Ocidental anunciou nesta quinta-feira um plano para capturar e matar os tubarões que se aproximarem demais das praias como medida de proteção após um ano no qual foram registradas cinco vítimas fatais por ataques destes animais.

"Em 100 anos houve 12 vítimas mortais por ataques de tubarão, mas nos últimos 12 meses morreram cinco pessoas", declarou Colin Barnett, governador da Austrália Ocidental, ao canal ABC.

O plano anunciado por Barnett está avaliado em US$ 6,85 milhões. O Departamento de Pesca será o encarregado de rastrear e sacrificar os tubarões que representarem um perigo para os banhistas, e por acompanhar os animais para estabelecer um perímetro de segurança.

"Esta nova medida nos ajudará a entender o comportamento dos tubarões que chegam nas praias e oferecerá uma maior proteção às pessoas", disse o político australiano.

Antes desta medida, o Departamento de Pesca só podia matar um tubarão depois que o animal atacasse um banhista. "Está claro que algo mudou e temos que ser mais cuidadosos", frisou Barnett.

A organização protetora dos animais "Wilderness Society", do estado da Austrália Ocidental, rejeitou o plano afirmando que o sacrifício de tubarões de maneira preventiva não é a solução para o problema.

Mais conteúdo sobre:
tubarão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.