Jacques Vapillon/Reuters – 28/11/2004
Jacques Vapillon/Reuters – 28/11/2004

Epifania sobre recursos veio após regata de volta ao mundo

Velejadora britânica Ellen MacArthur teve ideia de circularidade após ficar dois meses no mar, em 2005

Eduardo Geraque, especial para o Estado

23 Outubro 2018 | 06h30

SÃO PAULO - Ao passar mais de dois meses no mar, em uma regata solitária de volta ao mundo em 2005, a velejadora britânica Ellen MacArthur, hoje com 42 anos, percebeu a realidade de viver com recursos finitos. 

Seu plano na época era circum-navegar o planeta o mais rápido possível, de modo que fazer paradas para reabastecimento estava fora de cogitação. “Administrar com parcimônia os recursos materiais disponíveis era uma questão de vida ou morte”, contou depois de concluir a jornada. Ela já havia feito outra grande regata solo um ano antes.

“Quando Ellen cruzou a linha de chegada, ela teve uma epifania. A noção de limitação dos recursos que ela sentiu nos 72 dias que ficou no mar deveria ser aplicado à economia global”, explica Luisa Santiago, representante da Fundação Ellen MacArthur no Brasil.

Após a regata de 2005, Ellen, que virou um dos rostos mais conhecidos em defesa da economia circular, anunciou que largaria as grandes regatas. “Ela passou a fazer uma jornada. Ficou cinco anos conhecendo e conversando com dirigentes de empresas, com membros dos governos e líderes de escolas de pensamento acadêmico para chegar a uma forma que tornaria realidade a ideia da economia circular. O que temos hoje é fruto disso”, diz Luisa. 

Crise

A partir de 2008, com o mundo mergulhado em uma crise econômica, o cenário contribuiu para o surgimento da fundação, que nasceu dois anos depois com a missão de acelerar a transição para uma economia circular. “Essa necessidade global de escrever uma história de economia de longo prazo passou a ser bem aceita desde então”, explica a gestora brasileira. 

Desde então, a fundação atua em cinco frentes conectadas: produção de estudos e relatórios com evidências sobre o benefício da transição; atuação junto a empresas e governos; oferta de cursos online sobre economia circular; produção de estudos de caso e livros para o público em geral e atuação junto a organizações ao longo de cadeias de valor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.