Enorme furacão Sandy avança sobre a Costa Leste dos EUA

O furacão Sandy pode ser a maior tempestade a atingir os Estados Unidos quando chegar ao país na noite de segunda-feira, causando ventos fortes e inundações perigosas à Costa Leste, disseram meteorologistas neste domingo.

GENE CHERRY, Reuters

28 Outubro 2012 | 14h01

Sandy pode ter um impacto brutal nas principais cidades da zona que provavelmente será atingida, como Boston, Nova York, Washington, Baltimore e Filadélfia, numa das regiões mais densamente povoadas do país, onde vivem dezenas de milhões de pessoas.

O governo Obama estimou que 50 milhões de pessoas serão atingidas pela passagem do furacão.

"Só o tamanho dele, afetando uma área densamente povoada, fará história", disse Jeff Masters, especialista em furacões que escreve um blog no Weather Underground (www.wunderground.com).

Meteorologistas disseram que Sandy é uma "super tempestade" rara e híbrida, criada por uma corrente de vento ártico envolvendo uma tempestade tropical, possivelmente provocando 30 centímetros de chuva em algumas áreas, assim como uma forte nevasca.

Autoridades de vários Estados que estão no caminho do Sandy tiveram que tomar decisões duras sobre planos de emergência, incluindo retiradas obrigatórias de moradores em áreas costeiras vulneráveis. Multidões correram para comprar suprimentos antes que a tempestade atingisse o continente, na noite de segunda-feira.

A cidade de Nova York vai suspender os serviços de trem, metrô e ônibus na noite deste domingo e fechar escolas na segunda-feira em preparação para o furacão Sandy, disse o prefeito Michael Bloomberg.

O governador de Nova Jersey, Chris Christie, ordenou o fechamento de cassinos e começou os preparativos em caso de o Estado ter que fechar seus sistemas de ônibus e trens.

Em sua atual rota projetada, o Sandy deve atingir a terra entre a região de Nova York e Nova Jersey e seguir para o interior até Filadélfia e Pensilvânia, disseram os meteorologistas.

TEMPESTADE EXCEPCIONALMENTE GRANDE

Os meteorologistas do Centro Nacional de Furacões dos EUA, em Miami, disseram que ainda era cedo demais para prever precisamente onde a tempestade chegaria à terra, mas que o impacto seria sentido mesmo bem longe do centro do furacão.

Embora os ventos de 120 km/h do Sandy não sejam fortes demais para um furacão, sua extensão tornava-o excepcional. A força dos ventos de um furacão se estendem 280 quilômetros a partir de seu centro.

Não se esperava que Sandy ganhe força, mas que aumente seu volume. Segundo o site da Administração Nacional Atmosférica e Oceânica (NOAA), o Sandy pode ser a maior tempestade a atingir os Estados Unidos.

Na maré alta, a tempestade poderia aumentar o nível da água do mar em até 3,4 metros acima dos níveis normais em Long Island Sound e no porto de Nova York.

A tempestade poderia provocar a pior enchente em Connecticut em mais de 70 anos, disse o governador do Estado, Dannel P. Malloy.

Sandy estava situado a 420 quilômetros a sudeste de Cape Hatteras, na Carolina do Norte, na manhã de domingo, disse o centro de furacões.

A tempestade seguia sobre o paralelo atlântico até a costa dos EUA a 17 km/h, mas deve fazer uma curva acentuada para o oeste em direção à costa dos EUA na noite de domingo.

O Sandy matou ao menos 66 pessoas ao passar pelas ilhas do Caribe, incluindo 51 no Haiti, a maioria em consequência de enchentes relâmpago e deslizamentos de terra, segundo as autoridades.

(Reportagem adicional de Dave Warner na Filadéfia, Ellen Wulfhorst em Nova York, Mary Ellen Clark e Ebong Udoma em Connecticut, e Sam Youngman em Washington)

Mais conteúdo sobre:
CLIMA FURACAO AMEACA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.