Emissões da agricultura contrabalançam captura de CO2

Estudo diz que captura do gás-estufa realizada pela plantas não ultrapassa nível de emissão na produção agrícola

Efe,

23 Novembro 2009 | 12h47

As emissões de metano e óxido nitroso procedentes das matérias-primas orgânicas e da agricultura contrabalançam a captura natural de dióxido de carbono (CO2) na Europa, segundo um estudo publicado na internet pela revista Nature Geoscience.

 

Veja também:

linkDinamarca confirma 65 líderes mundiais na cúpula do clima

linkFalta de metas para Copenhague é 'absurdo', afirma Dilma

linkDesmate na Amazônia representa menos de 5% das emissões do País 

 

O pesquisador Detlef Schulze, do Instituto de Bioquímica Max-Planck em Jena (Alemanha), e outros 16 cientistas realizaram um trabalho em nível europeu no qual analisaram as emissões de dióxido de carbono, metano e óxido nitroso registradas entre 2000 e 2005 no continente, para apurar os gases estufa emitidos à atmosfera.

 

O estudo conclui que a função de captura de CO2 realizada por árvores e plantas serve para compensar os efeitos da agricultura no meio ambiente e, com isso, o final o balanço é quase zero.

 

De toda a emissão global de CO2, menos da metade se acumula na atmosfera, onde contribui para a mudança climática, graças justamente à captura natural de dióxido de carbono feita pelos oceanos e alguns ecossistemas terrestres.

 

Os especialistas destacam que estimular e aumentar a capacidade de captura destes ecossistemas é uma das vias mais acessíveis e realistas para minimizar a mudança climática, mas estes resultados mostram que, na Europa, não seria fácil conseguir isso.

 

Os pesquisadores advertiram que, se a tendência para uma agricultura mais intensiva continuar, se o desmatamento continuar e com a aposta nos biocombustíveis, é provável que se quebre esse equilíbrio na Europa.

Mais conteúdo sobre:
agricultura CO2

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.