Emissão desde 2005 dobrou

Concentração do metal nos oceanos também aumentou nos últimos cem anos

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo

19 Janeiro 2013 | 21h30

GENEBRA - O braço da ONU para o meio ambiente (Pnuma) divulgou um alerta há uma semana de que 6,5mil toneladas de mercúrio foram emitidas em 2010. As emissões ocorridas pelo uso na mineração, de acordo com o relatório, dobraram desde 2005. A concentração do metal nos oceanos também dobrou nos últimos cem anos.

Para a ONU, o mercúrio está entre as dez substâncias químicas mais ameaçadoras para a saúde humana e o ambiente. Alguns dos animais no Ártico teriam quantidade de mercúrio no sangue 12 vezes superior ao do período pré-industrial. Entre os séculos 18 e 19, estima-se que a humanidade jogou 350 mil toneladas de mercúrio nos solos, em busca do ouro, principalmente nos EUA. Hoje, são os pequenos mineradores da América Latina, da Ásia e da África que mais usam o produto.

O mercúrio permite que o ouro seja identificado mais facilmente. O processo seguinte é o de esquentar o amálgama formado, quando o mercúrio é liberado para a atmosfera. Novas tecnologias já existem, mas sua implementação custaria dinheiro e prazos para banir o metal.

Mais conteúdo sobre:
Mercúrio garimpo acordo emissão ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.