Dolly vira furacão e se aproxima do Texas

A tempestade tropical Dolly viroufuracão na terça-feira e se aproxima do sul do Texas, embora osmeteorologistas não prevejam que ele ganhe muita força quandoatingir o continente, perto da fronteira com o México, naquarta-feira à tarde. Este é o segundo furacão da temporada de 2008 no AtlânticoNorte. Ele tem ventos regulares de quase 120 quilômetros porhora e às 18h (hora de Brasília) estava 165 quilômetros asudeste de Brownsville, no Texas, segundo o Centro Nacional deFuracões dos EUA. Há um alerta em vigor desde a fronteira com oMéxico até a cidade de Corpus Christi. A rota e força do furacão não prenunciam prejuízos ao setorpetrolífero no golfo do México. Algumas localidades do Texas devem começar a sentir ventosfortes a partir de terça-feira à noite, e a previsão para ospróximos dias é de até 38 centímetros de chuvas. Depois das devastadoras temporadas de 2004 e 2005, os EUAforam relativamente poupados nos dois últimos anos, quando sóum furacão atingiu suas costas, o Humberto, em 2007. A temporada de 2008 está bastante ativa, mas aparentementesem eventos devastadores como o furacão Katrina, de 2005. Namédia, a quarta tempestade de cada temporada se forma em tornode 29 de agosto. Dolly, a quarta do ano, se formou em 20 dejulho. O governo do Texas orientou seus cidadãos a estocarempilhas e gêneros essenciais, e a cidade mexicana de Matamoros,vizinha a Brownsville, retirou 23 mil moradores de áreasinundáveis. A polícia mexicana interditou o acesso à praia Bagdad,também perto da fronteira com os EUA, para evitar que aspessoas se aproximem das águas turbulentas. Enquanto isso, a tempestade tropical Cristóbal ganhou forçana terça-feira, mas se afastou da Costa Leste dos EUA. Às 18h,estava 275 quilômetros a sul-sudeste de Halifax (Canadá),deslocando-se para nordeste sobre o mar a 28 quilômetros porhora, com ventos regulares de 100 quilômetros por hora, segundoo Centro Nacional de Furacões. (Reportagem de Chris Baltimore em Houston, Jim Forsyth emSan Antonio, Michael Christie em Miami, Tomas Bravo em PlayaBagdad, México, e Mariano Castillo na Cidade do México)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.