Divulgado Relatório Anual de Pegada Ecológica Florestal

A metodologia analisa o uso de commodities que têm risco de impacto nas florestas mundiais

Planeta/AE

10 Fevereiro 2010 | 20h16

Foi divulgada a versão 2009 do Relatório Anual de Pegada Ecológica Florestal, publicado pela Global Canopy Foundation, uma instituição sem fins lucrativos com sede na Inglaterra. A iniciativa é uma tentativa de mapear o impacto florestal de empresas de diversos setores. A metodologia analisa o uso de commodities que têm (ou podem ter) risco de impacto nas florestas mundiais. São elas: óleo de palma (ou dendê), madeira, soja, carne e biocombustíveis.

 

A instituição mandou questionários para 117 empresas em todo o mundo (incluindo 19 brasileiras), mas apenas 35 responderam. No Brasil, somente o grupo Independência, no setor agropecuário, e a Fibria, empresa formada com a união da Aracruz Celulose e da Votorantim Celulose e Papel, toparam responder à pesquisa. Gigantes internacionais de vários setores, como a Toyota, a Johnson & Johnson, e o McDonald's, também não enviaram respostas.

 

A performance das empresas é feita com base na análise dos questionários, que contêm perguntas como: Quais as commodities mais importantes para o seu negócio? Você incentiva os seus fornecedores a buscarem metas mais sustentáveis? Você comunica claramente ao público os seus compromissos? Que metas sustentáveis a empresa tem?

 

Os setores analisados foram: óleo e gás; produtos alimentícios e bebidas não-alcooólicas; produtos para cuidado pessoal e da casa; agricultura e pesca; varejo de alimentação e remédios; varejo de outros produtos; materiais do setor primário; indústria e autos; outros setores de consumo e setor de utilidades.

 

Entre os resultados vale destacar a performance da L’Oreal (no setor de produtos para cuidado pessoal e da casa) e da Sainsbury’s (varejo de alimentação e remédios).  

 

O relatório traz ainda uma análise da pecuária no Brasil, descrito como o maior exportador de carne mundial, mas com problemas de impacto por conta da perda de florestas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.