Dióxido de carbono atinge níveis recordes, diz estudo

A importância relativa do CO2 eleva-se, e o gás contribui para 91% do efeito de aquecimento dos gases-estufa

ALISTER DOYLE, REUTERS

23 de novembro de 2007 | 16h27

Os níveis de dióxido de carbono, o principal gás do efeito estufa emitido pela queima de combustíveis fósseis, atingiram concentrações recordes na atmosfera em 2006, acelerando o aquecimento global, disse na sexta-feira, 23, a Organização Meteorológica Mundial (OMM). Mas as concentrações de metano, o segundo gás mais importante na geração doa quecimento global, caíram, numa indicação de que o permafrost (terra congelada) siberiano continua congelado, apesar do temor dos cientistas de que a elevação das temperaturas provoque seu derretimento. "Em 2006, as concentrações médias globais de dióxido de carbono na atmosfera chegaram aos níveis recordes já registrados", disse a OMM. O dióxido de carbono é o principal gás proveniente de atividades humanas que alimenta o aquecimento global. De acordo com a OMM, os níveis subiram 0,53% desde 2005, atingindo 381,2 partes por milhão na atmosfera - 36% acima dos níveis de antes da Revolução Industrial, no século 18. Os níveis de óxido nitroso, o terceiro gás do efeito estufa mais produzido pela queima de combustíveis e por processos industriais, também chegaram ao recorde, subindo 0,25% em 2006. Os níveis estão 19% acima dos de antes da era industrial. "As taxas de crescimento atmosférico desses gases em 2006 estão em linha com os últimos anos", disse a OMM num relatório. Os gases-estufa são responsabilizados pela elevação das temperaturas, que pode aumentar o nível dos oceanos e causar ondas de calor, secas e enchentes. Os níveis de metano, gás produzido pela decomposição da vegetação, por cupins, arrozais e pelo processo digestivo das vacas, caíram 0,06 por cento em 2006. Ainda assim, a concentração de metano está 155 por cento maior que antes da Revolução Industrial. Segundo os cientistas, se o permafrost estivesse derretendo, isso apareceria nos níveis de metano. Segundo a OMM, a importância relativa do dióxido de carbono está aumentando, e o gás contribui para 91% do efeito de aquecimento dos gases-estufa - cinco anos atrás, essa proporção era de 87%. Ozônio As emissões de gases responsáveis por destruir a camada de ozônio do planeta registraram queda em 2006. Mais de 190 países vão se reunir em Bali, na Indonésia, entre 3 e 14 de dezembro, para tentar dar início a dois anos de negociações a fim de criar um acordo global que substitua o Protocolo de Kyoto, pacto da ONU para conter o aquecimento global que só vigora até 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
CLIMARECORDEESTUFA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.