Dinamarca cria grupos de trabalho para tentar salvar COP-15

Secretário-executivo da ONU elogia iniciativa e diz que criação dos grupos darão 'clareza' às negociações

Efe,

17 Dezembro 2009 | 12h42

O presidente da Cúpula da Mudança Climática, Lars Lokke Rasmussen, anunciou nesta quinta-feira, 17, a criação de dois grupos de trabalho para tentar de salvar no último momento esta reunião, que está em ponto morto há dias.

 

O sudanês Stanislaus Lumumba Di-Aping, porta-voz do G77 de não- alinhados, exigiu o início das negociações com o documento de Kyoto, que foi o ponto da discórdia entre os países em desenvolvimento e os Estados Unidos, que não chegou a ratificar esse protocolo.

 

Sobre o prazo máximo para ter pronto um acordo final, Rasmussen afirmou que "será curto", sem precisar uma hora concreta.

 

A conferência acaba nesta sexta-feira com a presença em Copenhague de 119 líderes, mas até agora não se percebeu uma vontade negociadora suficientemente sólida que conduza a um acordo tangível sobre as emissões.

 

Por sua vez, o secretário-executivo da conferência, Yvo de Boer, declarou que a decisão de criar dois grupos de contato dava "clareza" ao processo de negociação e que estes deveriam acabar seu trabalho na última hora desta tarde.

 

De Boer se mostrou satisfeito com o anúncio feito nesta quinta-feira pelos EUA de contribuir ao esforço global dos países ricos de destinar US$ 100 bilhões anuais a partir de 2020.

Mais conteúdo sobre:
Dinamarca Copenhague COP cupula ONU clima

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.