Dilma lamenta acidente na estação Antártica; local será reconstruído

Em nota, presidente ressaltou a importância do programa de pesquisas desenvolvido na Estação e afirmou que quer reconstruí-la

Suzana Inhesta, da Agência Estado,

26 Fevereiro 2012 | 12h34

A presidente da República Dilma Rousseff, em comunicado oficial na noite de ontem, diz ter recebido com "grande consternação" a informação sobre o incêndio ocorrido na Estação brasileira Antártica Comandante Ferraz neste sábado (25) no qual morreram dois militares da Marinha e feriu um.

 

Na nota, Dilma destacou o heroísmo dos militares que tentaram apagar o incêndio no local, ressaltou a importância do programa de pesquisas desenvolvido na Estação e afirmou que quer reconstruir a Estação. A presidente também agradeceu o apoio dos outros países no resgate dos brasileiros, como o Chile, Argentina e Polônia.

 

O planejamento da nova Estação Antártica, na Ilha Rei George, deverá começar amanhã (27), segundo disse o ministro da Defesa, Celso Amorim, à Agência Brasil. Porém, conforme o ministro, ainda não é possível avaliar os danos na estação incendiada, nem precisar quando a nova base estará pronta.

 

"A nossa ideia é imediatamente, já, chamar arquitetos para fazer desenhos, inclusive um desenho mais novo. Não estou dizendo que é por isso que aconteceu o incêndio, mas, obviamente, a base começou há 30 anos, então, ali ela foi agregando um pedaço ou outro. Agora já podemos pensar numa coisa para o futuro, digamos, de maneira mais completa, mais orgânica", disse Amorim à Agência Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.