Divulgação
Divulgação

Dia Mundial do Meio Ambiente destaca ações individuais

A data tem esse tema para lembrar a importância de cada um no combate às mudanças climáticas

Lucas Frasão, especial para O Estado de S.Paulo

04 Junho 2009 | 16h50

A 180 dias da reunião que deve definir os rumos após o Protocolo de Kyoto, o tema do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado hoje, faz um chamado: "Seu planeta precisa de você - unido para combater as mudanças climáticas". Estabelecido durante a Assembleia-Geral das Nações Unidas, em 1972, o dia tem o objetivo de sensibilizar a humanidade sobre as ameaças ambientais.

 

Veja também:

especialEspecial - O Papel de cada um

linkBrasil pode ter zona morta permanente

linkCFC é risco para o meio ambiente em troca de geladeiras

linkNo Brasil há três centros para tratar o CFC

linkRefrigeradores antigos viram peças de decoração

linkNo Brasil, dois navios e pouca pesquisa

linkValorização de aterros ofusca avanço da reciclagem no Brasil

linkPolítica Nacional de Resíduos tramita no Congresso há 18 anos

linkUma nova safra de empreendedores sustentáveis

documento Artigo - O princípio do preservador-pagador

lista Notas - Brasil é líder em energias limpas, diz ONU

blog Opinião - Múltiplas visões sobre o meio ambiente no Brasil

 

Neste ano, a proposta das Nações Unidas é que cada indivíduo desenvolva atitudes que possam ser aproveitadas pelas comunidades com o objetivo de recuperar o ambiente. "Essa temática foi explorada há alguns anos. Mas, em 2009, tem muito a ver com a reunião que vai definir os próximos passos pós-Kyoto", diz Haroldo Mattos de Lemos, presidente do Instituto Brasil Pnuma, o comitê brasileiro do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.

 

A Cúpula Mundial do Clima está marcada para dezembro, em Copenhague (Dinamarca), e deve criar um novo tratado climático para substituir o Protocolo de Kyoto, válido até 2012.

 

Na opinião de Lemos, do Pnuma, o tema deste ano para o Dia do Meio Ambiente representa um bom motivo para as pessoas refletirem sobre suas ações. "Se cada um se conscientizar sobre suas atitudes ambientais, a diferença vai ser muito grande", afirma ele.

 

Ações individuais

 

Aos 17 anos, Ana Claudia Cassanti é um exemplo de estudante preocupada com o ambiente. Ao lado de sua irmã gêmea e de outro colega do colégio Dante Alighieri, em São Paulo, ela tomou a dianteira na ideia de plantar mil mudas de árvores no Itaim Paulista, no ano passado. Agora, quer repetir a experiência e plantar mais 2 mil mudas em São Miguel, também na zona leste. O evento, que deve reunir mais de cem estudantes, está marcado para amanhã.

 

O projeto de Ana lhe rendeu uma vaga no programa Embaixadores do Clima, do Conselho Britânico. Em fevereiro, ela viajou para a Escócia, onde se encontrou com outros estudantes. "Pude ver o que cada um está fazendo para combater o aquecimento global", diz.

 

Outra atitude individual que sensibiliza para as questões climáticas é a do taxista João Batista Santos, de 45 anos. Ele criou o Eco Táxi, em que calcula a emissão de carbono de cada corrida e sugere ao passageiro pagar uma tarifa extra para ajudar a plantar uma árvore. "Uma hora nas ruas dá mais ou menos R$ 0,60", explica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.