Alexandre Meneghini/Reuters
Alexandre Meneghini/Reuters

Cuba recebe filhotes de crocodilos presenteados por Fidel Castro a cosmonauta

Sobrevivência da espécie é ameaçada pela perda de seu habitat natural e pelos cruzamentos com crocodilos norte-americanos

Alexandre Meneghini e Daniel Trotta, REUTERS

05 Junho 2015 | 16h11

Dez filhotes de crocodilos transferidos da Suécia chegaram a uma incubadora cubana para fortalecer a espécie e dar sequência à descendência de um casal de crocodilos cubanos que o ex-presidente da ilha, Fidel Castro, deu a um cosmonauta soviético nos anos 1970.

Os filhotes, presenteados por um zoológico sueco em abril, foram entregues ao Parque Nacional Ciénaga de Zapata na quinta-feira, 4, depois de uma quarentena em Havana. Cientistas esperam ajudar uma espécie que minguou devido à perda de seu habitat natural e aos cruzamentos com crocodilos norte-americanos.

"Eles podem ser uma nova fonte de genótipo para ajudar a preservar a espécie", disse Etian Perez, biólogo da incubadora do Parque Zapata, onde entre 4 mil e 5 mil crocodilos cubanos são criados.

Todos os anos, a incubadora solta os animais que os cientistas acreditam estarem prontos para viver na natureza, onde podem chegar a ter entre 2,5 metros e 2,8 metros de comprimento. Entre 6 mil e 8 mil estão na natureza, afirmou Perez, número que as autoridades cubanas estão tentando impedir que diminua.

Os filhotes nasceram de um casal de crocodilos cubanos que Fidel presenteou ao cosmonauta Vladimir Shatalov, que não tinha onde mantê-los e enviou os animais a um zoológico de Moscou. O zoológico russo transferiu os répteis em 1981 para o zoológico Skansen, em Estocolmo, onde eles vinham sendo criados desde então.

Mais conteúdo sobre:
Crocodilo Cuba preservação fauna

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.