Crise pode atrasar distribuição de água

Falta de investimentos pode causar cancelamento de projetos de infraestrutura

21 Março 2009 | 16h44

Se faltava uma boa desculpa para não se alcançar as Metas do Milênio na área de saneamento básico, não falta mais. O Banco Mundial alertou na última semana que a crise econômica global pode retardar em pelo menos uma década o desenvolvimento do abastecimento de água no mundo, porque faltarão investimentos e cada vez mais gente se verá sem condições de pagar as contas de água.

Jamal Saghir, diretor de Energia, Água e Transporte do Banco Mundial, afirmou durante o Fórum Mundial da Água que novos empreendimentos devem ser cancelados, e os projetos atuais de infraestrutura em distribuição e tratamento d’água podem sofrer pressões de elevação de custos.

A conferência foi criticada por não ressaltar de maneira clara o fato de que a água potável é um direito fundamental do ser humano. Uma das chamadas Metas do Milênio, instituídas pela ONU no começo da década, é reduzir pela metade até 2015 a proporção de pessoas sem acesso à água potável. Hoje, há cerca de 1 bilhão de pessoas sem acesso à água, e 2,6 bilhões sem saneamento básico.

Mais conteúdo sobre:
Água

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.