Divulgação
Divulgação

Couro vegetal vira tênis para skatistas

Feito de látex natural e algodão, o couro vegetal é usado na fabricação de calçados, bolas, bolsas e móveis

Karina Ninni, especial para O Estado de S. Paulo

30 Abril 2010 | 00h01

Feito de látex natural e algodão, o couro vegetal é usado na fabricação de calçados, bolas, bolsas e móveis. “Não há geração de resíduos em nenhuma fase da produção”, diz Jaime Rodrigues, da Ecológica, que produz o couro vegetal.

 

O material é usado pela Öus na confecção de tênis para skatistas. “A aderência é ótima e os tênis nunca furam”, diz o skatsita profissional Giancarlo Naccarato. A linha está sendo exportada para o Chile e a Austrália. Veja as etapas de fabricação.

 

Extração do látex:

O látex é retirado das seringueiras com a mesma técnica utilizada há séculos: por meio de sulcos feitos em torno do tronco. Embaixo dos sulcos é encaixado um recipiente para receber o líquido (borracha). O látex líquido é levado, em galões, para a fábrica e colocado no misturador.

 

Coloração:

O material recebe os corantes à base de água. Não há resíduos de tintura, pois toda a tinta é absorvida pelo látex no misturador. Para formar o laminado, o látex já tingido é espalmado sobre uma manta de algodão, fixando-se nela por meio de um processo que a empresa não revela.

 

Espessura e textura:

O laminado resultante passa por grandes bobinas para ficar na espessura desejada. As máquinas também produzem texturas diferentes no material. Em rolos de 25 x 1,18 metros, o couro vegetal chega à fábrica de tênis, onde é cortado. São feitos furinhos para permitir a transpiração do pé.

 

Confecção do sapato:

O couro recebe um forro de poliéster reciclado e uma palmilha estrutural. Depois, são colocados o cabedal (parte superior), a sola de látex natural e o fachete (lateral da sola). O cadarço e a lingueta são de tecido feito de PET. E está pronto o tênis de couro vegetal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.