Polícia Militar Ambiental/ Divulgação
Polícia Militar Ambiental/ Divulgação

Corte de 400 palmeiras juçara rende multa de R$ 174 mil no interior de SP

Polícia Militar Ambiental localizou acampamento usado para extração ilegal em Tapiraí

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

14 de janeiro de 2019 | 22h41

SOROCABA - A Polícia Militar Ambiental encontrou um acampamento usado para extração ilegal do palmito de palmeiras da espécie juçara, em área de proteção ambiental, neste domingo, 13, em Tapiraí, interior de São Paulo. No local, foram apreendidas cerca de 400 toras de palmito enfardadas e prontas para serem retiradas da mata. Cada tora correspondente à derrubada de uma palmeira.

A região, na estrada Dulcídio Moreira da Silva, fica em área protegida da Serra de Paranapiacaba, uma extensão da Serra do Mar coberta pela floresta Atlântica. A única pessoa encontrada no local, um jovem de 26 anos, foi autuado pelo dano ambiental e multado em R$ 174 mil.

No acampamento, havia vestígio da presença de mais pessoas que, provavelmente, estavam no mato, extraindo palmitos, quando a Ambiental chegou. A equipe seguiu para a trilha após receber denúncia. Os palmitos in natura estavam enfeixados para o transporte. A ação impediu que o produto fosse processado de forma clandestina e comercializado, levando risco de contaminação aos consumidores. O rapaz foi levado à delegacia da Polícia Civil e liberado depois de prestar depoimento.

A palmeira juçara é considerada espécie-chave da Mata Atlântica, já que seus cachos de frutos alimentam um grande número de espécies da fauna silvestre desse ecossistema. O corte indiscriminado causa desequilíbrio ambiental e levou a palmeira a ser incluída na lista vermelha de espécies da flora brasileira em risco de extinção.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.