Leonardo Costa/Divulgação
Leonardo Costa/Divulgação

Consultório de psicólogo em BH neutraliza emissões com plantio de árvores

Desde o ano passado, o psicólogo Leonardo Pimenta Costa planta mudas de árvores nativas da Mata Atlântica para compensar as emissões do consultório que divide com mais dois profissionais na capital mineira.

Karina Ninni, estadao.com.br

22 Dezembro 2010 | 00h09

 

“Este ano plantamos 14 mudas. Ano passado, acho que foram 15. Em nossa conta entram não apenas os materiais utilizados no consultório e o combustível que usamos para nos locomover. Contabilizamos também a locomoção dos pacientes. O custo para eles é de menos de 10% do valor da consulta. Quando eles chegam, nós explicamos como agimos e em 99% dos casos eles aprovam.

 

Eu não creio que o plantio de árvores possa reparar o impacto que causamos, mas acho que é uma boa forma de recomeçar uma atividade, melhorando as atitudes.

 

Acredito que a culpa pode ser produtiva dependendo da forma como é encarada. Se ela serve para rever suas decisões e tomar outras mais conscientes, então é algo que acrescenta, pois a pessoa vai começar a reconstruir seus hábitos a partir daí.

 

Com meus pacientes, eu costumo refazer a ideia da culpa e a trabalhar com o conceito de responsabilidade. Às vezes, o problema é mais simples do que se imagina. Por exemplo: eu uso papel para atender crianças. Eu não posso deixar de usar papel, mas posso passar a usar um papel menos danoso ao ambiente.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.