Christian Hartmann/Reuters
Christian Hartmann/Reuters

Conferência do Clima começa oficialmente, com pedido de urgência

Autoridades lembraram atentados em Paris e afirmaram que preocupação com terrorismo não pode afetar negociações

Andrei Netto e Giovana Girardi, O Estado de S. Paulo

30 Novembro 2015 | 08h22

PARIS - A 21ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU) - a COP-21 - foi aberta oficialmente aberta na manhã desta segunda-feira, 30, em Paris, com a transmissão da presidência do evento do Peru, onde foi realizada a última, para a França.

O ministro do Meio Ambiente do Peru, Manuel Pulgar Vidal, lembrou os atentados terroristas contra a França em 13 de novembro, mas pediu para que a preocupação com o problema não afete as negociações. "Podemos lutar contra as mudanças climáticas e, ao mesmo tempo, contra o terrorismo", disse.

Laurent Fabius, ministro das Relações Exteriores da França, assumiu a presidência da COP-21 pedindo urgência. "Nós temos apenas onze dias pela frente, mas temos a obrigação do sucesso. Ele não está garantido, mas está ao nosso alcance", disse. "Os olhos do mundo estão voltamos para nós, há muita esperança, e cabe a nós todos estar à altura de poder dizer ao mundo, ao final de tudo, que a missão foi cumprida."

A secretária-executiva da Convenção do Clima da ONU (UNFCCC, na sigla em inglês), que organiza a cúpula, também lembrou os ataques terroristas e abriu sua apresentação dizendo que compartilhava o luto. "Estamos ao lado de Paris."

Ela afirmou também que a o apelido de "cidade-luz" de Paris ganhou um novo sentido após os atentados: de esperança e de liderar o caminho da humanidade. 

"Em face às adversidades e ameaças, em Paris o mundo vira um só, onde ficamos solidários uns com os outros. Neste ano que passou houve o momento da virada, em que adotamos uma direção irreversível de ações ousadas. É marcante, mas a tarefa ainda não está concluída. Cabe a nós capturar esse progresso. O mundo está olhando para vocês e contando com vocês."

A presidente Dilma Rousseff (PT) já está no centro de conferência e se reuniu com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Junker, e com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk. Ela deve se pronunciar em plenária até as 13 horas, no horário de Paris (16 horas de Brasília). Cerca de 150 chefes de Estado e de governo estão em Paris para impulsionar o comprometimento com a luta contra as mudanças climáticas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.