Competição em segundo plano
Conteúdo Estadão Blue Studio

Competição em segundo plano

Grandes empresas globais do setor plástico se unem para reduzir o lixo do planeta

Estadão Blue Studio, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2022 | 08h00

A união de empresas de um mesmo setor para enfrentar problemas ambientais em comum é um caminho que tem suscitado várias iniciativas. Um exemplo é a Alliance do End Plastic Waste (AEPW), Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos, fundada em 2019 com a missão de acabar com o depósito de materiais plásticos no meio ambiente e contribuir para eliminar o passivo acumulado ao longo das décadas.

“Convocamos empresas que fazem parte de todas as etapas da cadeia para enfrentar a poluição por resíduos plásticos, num trabalho em conjunto com o setor público e as comunidades”, diz a vice-presidente de Assuntos Públicos e Corporativos da AEPW, Allison Lim. A rede já soma 90 empresas e instituições, incluindo várias das maiores corporações globais da cadeia de valor dos plásticos.

Integrante da AEPW desde a fundação, a Braskem é a única representante brasileira. “O plástico é um material extremamente eficiente, que ajuda a minimizar nosso impacto no meio ambiente em quase todos os aspectos da vida moderna. Mas precisamos trabalhar para promover o descarte adequado e o consumo consciente, assim como para reciclar e recuperar o plástico depois de usado”, diz a diretora de Economia Circular da companhia, Fabiana Quiroga.

Projetos emblemáticos

Estima-se que, no ano passado, cerca de 11 milhões de toneladas de resíduos plásticos tenham chegado ao meio ambiente ao redor do planeta. Como há mais de 3 bilhões de pessoas ainda sem acesso a serviços de gerenciamento de resíduos, a Aliança se concentra na implementação de projetos e investimentos em soluções inovadoras para aprimorar a coleta, a triagem, o processamento e a reciclagem.

A Braskem planeja investir, até 2023, US$ 15 milhões em projetos alinhados ao propósito da AEPW. “Já temos 12 iniciativas aprovadas pela Aliança, que, juntas, somam um investimento de US$ 5,9 milhões”, conta a diretora de Economia Circular. Algumas dessas iniciativas são o Programa Ser+, que promove a inclusão social e o desenvolvimento socioeconômico de trabalhadores que atuam na triagem de resíduos, e a Edukatu, rede online de aprendizagem sobre consumo consciente e sustentabilidade para professores e alunos do ensino fundamental de todo o Brasil.

Caderno Especial Brasil Verde - Carbono Zero

Conteúdo produzido pelo estadão blue studio, a área de conteúdo customizado do estadão

Tudo o que sabemos sobre:
plásticomeio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.