Reprodução
Reprodução

Como instalar um sistema de energia solar caseiro? Saiba o investimento mínimo

Especialista em sustentabilidade consultado pelo Estado explica os benefícios de se instalar paineis fotovoltaicos e como isso pode ajudar a conseguir descontos e reduzir o consumo

O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2017 | 14h12

O gasto com a conta de luz pode afetar drasticamente o orçamento de algumas famílias, dependendo do consumo. De acordo com Wagner Carvalho, diretor da W-Energy - empresa que presta consultoria para instituições que querem adotar práticas sustentáveis e reduzir custos com água e energia elétrica -, as placas solares caseiras podem ser instaladas nas residências de forma acessível e com um retorno sustentável em um futuro próximo. 

Em entrevista ao Estado, Wagner explica que quando uma pessoa quer investir em um painel solar ela deve tomar uma decisão. Segundo o especialista, há duas opções: instalar um painel mais simples e barato para contribuir com a distribuição elétrica da casa, e armazenar energia para fins emergenciais, ou investir em um sistema mais completo e caro para suprir toda a necessidade energética da casa. "Nos dois casos, o excedente de energia que é produzido pelo proprietário pode ser fornecido para a rede da concessionária e obter créditos. Isso retornará como desconto na conta de luz", afirma o diretor da W-Energy. 

Para transferir a energia elétrica que é produzida de forma independente à rede da concecionária, basta contratar um eletricista que pode ajudar a preencher um formulário de solicitação de minigeração da Eletropaulo, no caso do Estado de São Paulo. Wagner Carvalho recomenda procurar um profissional para fazer todo o procedimento com a concessionária e também garantir a segurança na instalação caseira. 

Qual o tamanho do investimento para instalação de sistema de captação solar caseiro?

Com a aquisição do painel fotovoltaico, o próximo passo para o consumidor produzir energia elétrica via luz solar é procurar um inversor de frequência, que será ligado na rede elétrica. Na entrevista, Wagner Carvalho dá exemplo de uma família que consome aproximadamente 340 kW por mês, equivalente a cerca de R$ 200. Para suprir esse consumo, ele calcula que o investimento seria de R$ 17 mil em placas solares e outros equipamentos. Em termos de quantidade de energia elétrica gerada, isso se pagaria em aproximadamente seis anos. A partir disso, o consumidor não precisaria se preocupar em pagar a conta de luz, segundo Wagner. 

No caso da produção de energia solar para suprir parte da demanda energética e fornecer armazenamento para eventuais emergências, o investimento mínimo seria de aproximadamente R$ 1,6 mil:

Placa solar - R$ 550

Bateria e controladora para armazemento de energia - R$ 500

Inversor de frequência de 800 watts - R$ 530

Conector do painel solar - R$ 15

Mais conteúdo sobre:
Energia Elétrica Conta de Luz

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.