Comissão Européia apresenta orientações para a Rio+20

Documento menciona eco-taxas, remoção de subsídios a setores prejudiciais ao meio ambiente e financiamentos públicos para proteger recursos naturais

Planeta

20 Junho 2011 | 14h26

A Comissão Européia (CE) divulgou nesta segunda-feira para os outros órgãos da União Européia (UE) as informações iniciais de como o bloco deverá se posicionar na Conferência de Desenvolvimento Sustentável da ONU Rio+20, noticiou o Instituto Carbono Brasil. A conferência será no Rio de Janeiro, em junho do ano que vem.

As orientações mostram, de uma forma geral, como a UE pode contribuir com a transição para uma economia mais verde e sugerem medidas que podem ser implementadas por em nível regional, nacional e internacional.

O documento menciona políticas como eco-taxas, remoção de subsídios de setores que são prejudiciais para o meio ambiente e financiamentos públicos e privados para proteger os mais importantes recursos naturais, como água, biodiversidade e os serviços ecossistêmicos.

Existe também o interesse em fortalecer organismos internacionais como o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

“O gerenciamento sustentável dos recursos naturais é importante para todos os países e pode ser uma grande oportunidade para as nações em desenvolvimento erradicarem a pobreza. A Rio+20 pode representar o início de uma transformação da economia global rumo a um futuro mais verde”, declarou Janez Potočnik, comissário de Meio Ambiente da CE.

Essas orientações servirão de base para aprofundar o diálogo entre a CE, o Conselho Europeu, o Parlamento Europeu e a sociedade civil européia. A posição final da UE será apresentada em novembro de 2011.

* Com informações do Instituto Carbono Brasil.

Mais conteúdo sobre:
Rio+20 UE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.