Comissão da baleia desiste de votar criação de santuário

A Comissão Internacional da Baleia (CIB) encerrou a reunião deste ano sem votar a proposta brasileira de proibir a caça no Atlântico Sul, após uma manobra liderada pelo Japão para não haver quórum.

O Estado de S. Paulo

15 Julho 2011 | 09h22

Ontem, delegados do Japão, da Islândia e de outros 20 países - de um total de 59 nações presentes - saíram da negociação para impedir a votação. Em discussão desde 2001, o tema nunca atingiu os 3/4 dos votos exigidos.

Apesar da manobra japonesa, o delegado brasileiro, Marcus Paranaguá, afirmou que Brasil e Argentina conseguiram marcar um ponto muito importante.

"Tivemos o apoio da grande maioria dos países", disse Paranaguá. "E conseguimos incluir os nomes dos que deixaram a sala. Agora todos sabem quem são os que se opõem."

Além disso, Paranaguá argumenta que o tema será o primeiro item da agenda na próxima reunião da CIB, a ser realizada no Panamá em 2012.

Marcela Vargas, gerente da Sociedade Mundial de Proteção da Animal (WSPA, sigla em inglês) para a América Latina, disse que a atitude das nações baleeiras e seus aliados foi "ultrajante". / ANDREA VIALLI e CEDÊ SILVA, ESPECIAL PARA O ESTADO

Mais conteúdo sobre:
PlanetaVersão Impressa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.