Começa tentativa de salvar aldeia francesa ameaçada por geleira

Se bolsa d'água presa no gelo ceder, inundação pode alcançar cidade em menos de 30 minutos

Efe, Efe

25 de agosto de 2010 | 10h06

PARIS - O trabalho de bombeamento de 65 mil metros cúbicos de água da geleira alpina Tête Rousse, em Mont-Blanc, começou nesta quarta-feira, 25, para evitar a inundação da cidade vizinha francesa de Saint-Gervais-les-Bains.

 

O trabalho, que durará até outubro, começará com a perfuração de uma primeira bolsa de água de 25.000 metros cúbicos, localizada a 75 metros abaixo da superfície da geleira, à 3.200 metros acima do nível do mar.

 

Dessa forma, graças a um orçamento de mais de dois milhões de euros, irá reduzir a pressão da água, podendo então continuar o trabalho com "mais calma", disse em um comunicado o prefeito da cidade, Peillex Jean-Marc.

 

Se trata da única bolsa de água localizado precisamente, já que não se pode determinar com exatidão a localização dos 40 mil metros cúbicos restantes.

 

Se a bolsa presa no gelo ceder, a inundação pode chegar à cidade em um período de 15 a 30 minutos, e afetar cerca de 900 famílias, disse o prefeito, que considera essencial "informar a população sobre os riscos" e recorda que desde julho do ano passado estabeleceu um sistema de alerta.

 

Três bombas, enviadas por helicóptero, começarão com a operação necessária porque "não se brinca com vidas humanas", disse o prefeito da cidade.

 

Não seria a primeira vez que um fenômeno desses afeta a vida das pessoas que vivem perto de uma geleira, já que em 1892 um desastre similar no mesmo vale provocou a morte de 175 pessoas, arrastadas pela água e lama.

 

No entanto, os geólogos do Centro Nacional de Pesquisa Científica foram incapazes de dizer quando se poderia quebrar a estrutura de gelo que mantém a água em deste glaciar particular, que não possui um "sistema de drenagem natural da água", assim requisitando a mão do homem para esvaziá-la.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.