Cobra gigante asfixia e tenta engolir biólogo na Venezuela

'O jovem subestimou o instinto do animal' entrando em seu ninho sem tomar nenhuma precaução

Efe

25 Agosto 2008 | 16h38

Uma cobra da Birmânia de três metros de comprimento asfixiou e tentou engolir o estudante de biologia Erick Arrieta, de 29 anos, que estudava o comportamento do animal em um concorrido parque de Caracas, foi divulgado nesta segunda-feira, 25. "O jovem subestimou o instinto do animal" e no sábado, 23, entrou em seu ninho sem tomar as devidas precauções, declarou o diretor do Parque del Este, Javier Hernández, para o jornal Universal de Caracas, que publicou uma matéria sobre o incidente nesta segunda. A cobra foi encontrada há dois meses em El Ávila, montanha que separa Caracas do mar do Caribe, onde Hernández disse que "é muito comum que pessoas que viajam para a Ásia tragam, como souvenirs, cobras recém-nascidas", que logo são abandonadas quando crescem.  As pessoas que encontrara o corpo de Arrieta, que trabalha há nove anos no local, "só viram quando a cobra começava a engoli-lo pela cabeça e tiveram que brigar com ela para tirar o corpo do local", disse o jornal.

Mais conteúdo sobre:
Venezuelameio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.