Sathyabhama Das Biju/EFE
Sathyabhama Das Biju/EFE

Cientistas descobrem 14 novas espécies de rãs na Índia

Animais são conhecidos como 'rãs dançantes' por causa do movimento das patas traseiras do macho durante o 'namoro'

EFE

09 Maio 2014 | 18h51

Um grupo de cientistas descobriu na Índia 14 novas espécies de um tipo de rã único no mundo, consideradas "relíquias vivas". O hábitat dos animais está cada vez mais ameaçado, informou nesta sexta-feira, 9, um dos pesquisadores.

O anfíbio é conhecido como "rã dançante", pelo movimento das patas traseiras dos machos durante o namoro, e só é encontrado em uma cordilheira no oeste da Índia, em frente ao mar da Arábia, disse o pesquisador Sathyabhama Das Biju.

O estudo, publicado no Ceylon Journal of Science, é fruto do trabalho de campo nos estados indígenas de Kerala, Tamil Nadu, Karnataka e Maharashtra. Para identificar as novas espécies, foi preciso analisar o DNA e as características morfológicas.

As rãs pertencem à família das Micrixalidae e a um gênero único da Índia denominado Micrixalus, do qual até agora se conheciam outras 11 espécies e cujas origens remontam há 85 milhões de anos.

Os pequenos animais vivem em correntes rápidas de água nas montanhas, em um hábitat onde durante os últimos 15 anos foram descobertos 75 novos anfíbios e onde acredita-se que pode haver ainda centenas de espécies para descrever cientificamente.

Entretanto, o hábitat está cada vez mais ameaçado pela ação humana, motivo pelo qual novas espécies "requerem ações imediatas para sua conservação", já que a maioria vive em áreas sem proteção ambiental, advertem os cientistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.