Cientistas da ONU sugerem 30% de cortes para países ricos

Documento diz que propostas de nações ricas são insuficientes para manter em 2ºC o aumento da temperatura

Reuters

17 Dezembro 2009 | 15h40

Os cientistas das Nações Unidas sugeriram, em documento que vazou nesta quinta-feira, que os países ricos deveriam reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 30% até 2020, com base nos níveis de 1990, para evitar mudanças climáticas perigosas. 

 

O Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas da ONU (IPCC, na sigla em inglês) recomenda cortes de 25% a 40% para dar ao mundo uma chance de 50% de ficar abaixo de um aumento da temperatura global de 2ºC, já considerado um limiar de mudanças perigosas, incluindo mais inundações, secas e aumento do nível do mar.

 

O documento da ONU, que se destina a estimular o debate e não pretende ser prescritivo, sugeria que as propostas das nações desenvolvidas não são suficientes para manter o mundo dentro da meta de 2ºC. Medidas adicionais são possíveis e necessárias, diz o documento. 

 

"Isso poderia ser feito através do aumento das metas de redução das emissões agregadas aos Países do Anexo 1 do Protocolo de Kyoto [países desenvolvidos] para pelo menos 30% abaixo dos níveis de 1990", dizia o documento, recebido pela Reuters na quinta-feira. Além disso, para chegar a 2ºC, países em desenvolvimento devem "reduzir as suas emissões em pelo menos 20% abaixo do nível usual ".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.