RICARDO MORAES / REUTERS
RICARDO MORAES / REUTERS
Imagem Fernando Reinach
Colunista
Fernando Reinach
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Cidades que afundam

Algumas localidades afundam em ritmo que pode ser até 15 vezes mais rápido que o da subida do mar

Fernando Reinach*, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2022 | 05h00

Os cientistas concordam que o nível do mar está subindo. Muitas áreas que hoje estão à beira-mar serão tomadas pelos oceanos. A novidade é que grandes cidades à beira-mar estão afundando em um ritmo que pode ser até 15 vezes mais rápido que a velocidade da subida do mar.

Essa combinação desses dois fenômenos vai fazer com que áreas nessas cidades sejam invadidas pelos oceanos muito antes do que se imaginava. O Rio de Janeiro está na lista.

Para medir a subida do nível do mar, os cientistas usam um sistema de radar colocado nos satélites. Com ele, é possível determinar a altura de cada colina, prédio ou cordilheira. Os cientistas descobriram que o nível do mar está subindo entre 2 e 3 milímetros por ano.

Ou seja, em 100 anos o nível do mar vai subir 20 a 30 centímetros. O aumento do nível do mar ocorre pelo aquecimento global. O gelo acumulado nos polos e glaciais está derretendo e a quantidade de água presente nos oceanos está aumentando. O ritmo desse aumento vai depender da velocidade desse degelo no futuro e, portanto, do aquecimento global.

Agora os cientistas utilizaram dados coletados por esses radares para examinar o que está acontecendo em 99 cidades localizadas à beira-mar em todo o mundo. Eles coletaram dados entre 2014 e 2021. As altitudes em cada ponto dessas 99 cidades foram medidas a cada dois meses. Cada ponto foi medido seis vezes por ano e plotado em mapas. Comparando esses mapas é possível descobrir que áreas nas cidades estão subindo ou afundando e a velocidade desse processo.

Trinta e três das 99 cidades estudadas estão afundando com velocidades maiores que 10 milímetros por ano, cinco vezes mais rápido que a velocidade de subida do oceano. Apesar dessas cidades estarem localizadas em todos os continentes (entre elas o Rio de Janeiro), a maioria está no oriente. 

Tianjin, Semarang e Jacarta estão afundando com velocidade maior que 30 milímetros por ano, 15 vezes mais rápido que a subida do nível do mar. Os cientistas identificaram as áreas nessas cidades que estão muito próximas do nível do mar e que serão as primeiras áreas atingidas. 

Em muitas cidades esses locais são relativamente pequenos, mas em algumas, como Tampa e Mumbai, áreas importantes estão entre as de maior risco. A principal causa do afundamento é a retirada de água doce do subsolo por meio de poços artesianos para uso na própria cidade.

Dependendo do avanço do aquecimento global, cidades importantes terão de ser realocadas nos próximos séculos. Eu, que sempre vi a subida dos oceanos como um problema para as próximas gerações, estou começando a me convencer que vou ver a água chegar mesmo que seja somente em dias de grandes tempestades. E você, caro leitor, se for investir em imóveis nessas áreas é bom ter isso em mente. 

MAIS INFORMAÇÕES PODEM SER VISTAS EM: SUBSIDENCE IN COASTAL CITIES THROUGHOUT THE WORLD OBSERVED BY INSAR. GEOPHYSICAL RESEARCH LETTERS. HTTPS://DOI.ORG/10.1029/2022GL098477 (2022)

* É BIÓLOGO, PHD EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR PELA CORNELL UNIVERSITY

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.