Reuters
Reuters

China refuta monitoramento externo de metas de redução de CO2

Governo chinês pede que confiem na honestidade do compromisso do país de combater o aquecimento

Agência Estado,

17 Dezembro 2009 | 15h42

O vice-ministro de Relações Exteriores da China, He Yafei, reiterou que as metas de redução de carbono do país não devem ser submetidas à monitoração internacional, mesmo diante da pressão crescente por mais transparência.

 

Veja também:

linkLula pede 'ambição' no corte de emissões em discurso na COP

linkNegociação de acordo é retomada 

linkEUA propõem US$100 bi/ano para fundo 'verde'

blog Blog da COP: o dia a dia na cúpula

especial COP-15, acompanhe os principais fatos

especial Glossário sobre o aquecimento global

especial Entenda as negociações do novo acordo  

especialRumo à economia de baixo carbono  

 

Ele pediu aos países desenvolvidos que confiem no sistema interno de monitoração da China e na honestidade do compromisso do país de combater as mudanças climáticas.

 

Segundo He, a China estará disposta a oferecer explicações e conduzir diálogos internacionais a respeito das ações de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa e acrescentou que o país aprecia qualquer esforço das nações desenvolvidas no sentido de financiar projetos de combate ao aquecimento global em países mais pobres.

 

A declaração foi uma resposta à proposta dos EUA de criar um fundo que disponibilizaria US$ 100 bilhões por ano para projetos desse tipo ao longo da próxima década. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
China emissoes monitoraçao CO2 Copenhague COP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.