China, Índia e Rússia ainda não endossaram Acordo de Copenhague

Nações apresentaram metas de redução, mas não endossaram o fraco acordo costurado em Copenhague

Reuters,

03 Fevereiro 2010 | 20h41

Mais de 80 nações assinaram o Acordo de Copenhague para combater as mudanças climáticas mas a China, a Índia e a Rússia estão entre os países que ainda têm de esclarecer se vão endossar o documento, segundo dados divulgados pelas Nações Unidas.

 

A Secretaria de Mudanças Climáticas da ONU escreveu para todas as nações no último dia 18 estabelecendo um prazo para o endosso do acordo até o dia 31 de janeiro - depois do fracasso da Conferência do Clima, no sentido de conseguir um documento aprovado por unanimidade pelos 194 países participantes, em dezembro.

  

Os países também deveriam ter enviado em janeiro suas metas para redução de emissões até 2020. As Nações Unidas dizem que o prazo para isso é flexível.

 

Documentos oficiais publicados no website da ONU esta semana mostram que todos os maiores emissores, encabeçados pela China, a Índia, a Rússia e os Estados Unidos, submeteram planos para redução de emissões. Mas alguns não confirmaram se vão endossar o acordo, entre eles a China e a Índia, cujos líderes estão entre os que deveriam negociar o pacto com o presidente americano, Barack Obama. Os países que endossaram o acordo estarão listados no início do documento.

 

O acordo estipula um limite para o aumento da temperatura global em 2º C acima dos níveis registrados na era pré-industrial e um fundo de US$ 100 bilhões por ano para as nações em desenvolvimento até 2020.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.