China fechará siderúrgica que ultrapassar limites de poluição

Governo chinês anunciou criação de lei que permitirá o fechamento de fábricas que poluírem as águas e ar

Efe,

09 Dezembro 2009 | 09h18

O governo chinês anunciou nesta quarta-feira, 9, a criação de uma lei que permitirá o fechamento de siderúrgicas que ultrapassarem os limites de poluição, informou o Ministério de Indústria e Tecnologias da Informação do país em seu site.

 

Veja também:

linkRascunho de acordo da cúpula privilegia ricos  

linkFundo do clima tem de incluir Brasil, diz ONU

especialGlossário sobre o aquecimento global

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especialEntenda as negociações do novo acordo   

especialRumo à economia de baixo carbono 

 

Segundo a nota publicada na página oficial do ministério na internet, a quantidade de água contaminada está limitada a dois metros cúbicos por tonelada produzida, enquanto as emissões de dióxido de carbono não podem ultrapassar os 1,8kg por tonelada.

 

"Os fabricantes de aço deverão abandonar a atividade se não cumprirem os requisitos", diz o texto, que se refere tanto às explorações já existentes como às novas fábricas que forem construídas.

 

As autoridades não deverão conceder permissões operacionais nem vender terras para as instalações excessivamente poluentes, e impedirão também os bancos de oferecer financiamentos a projetos "não sustentáveis".

 

A China, maior produtor mundial de aço e também o maio emissor de gases poluentes do planeta, anunciou a lei na mesma semana em que acontece a cúpula do clima em Copenhague.

Mais conteúdo sobre:
Chinapoluiçãoleisiderurgicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.