China e EUA devem construir base bilateral, diz Casa Branca

Obama se reúne a portas fechadas com líderes mundiais na tentativa de um acordo

18 Dezembro 2009 | 13h30

O presidente norte-americano Barack Obama e líderes de diversos países realizaram outra reunião improvisada, em busca de um acordo sobre o clima. O porta-voz de Obama Robert Gibbs, disse que o presidente estava conversando a portas fechadas com os líderes da Austrália, o Reino Unido Unido, França, Japão e Alemanha.

 

Também participam nas conversações representantes da Etiópia, Bangladesh e Colômbia, entre outros. China e Rússia, ambos vistos como participantes-chave nas negociações sobre o clima, também estavam presentes. Minutos antes, Barack Obama havia se reunido com o premiê chinês, Wen Jiabao.

 

De acordo com o porta-voz da Casa Branca, os líderes dos dois maiores emissores de gases de efeito estufa do mundo direcionaram seus negociadores para construir uma base bilateral incluindo também os outros países para ver se um acordo pode ser alcançado.

 

 

A China se recusa a deixar que um organismo de fora monitore suas emissões de carbono, exigência da qual o presidente Barack Obama não abre mão.

 

Enauanto isso, o presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, afirmou hoje à agência russa "RIA Novosti" que seu país está pronto para firmar um acordo climático com força de lei.

 

E Lula, em seu discurso matinal, disse que o Brasil poderá colaborar com um fundo mundial para os países pobres, contanto que os líderes cheguem a um acordo que satisfaça a todos.

 

 

No braço de ferro estabelecido entre os líderes mundiais, Lula parece ter sido o único a apresentar alguma novidade, já que Obama decepcionou a plenária, ao não acenar com metas e cobrou os países em desenvolvimento, em um discurso considerado, por muitos, como arrogante. (com inoformações da Reuters, BBC e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.