Chimpanzés reconhecem membros do grupo pelo traseiro

Segundo os pesquisadores, a experiência demonstra que os chimpanzés constroem representações mentais

EFE,

24 Setembro 2008 | 14h02

Os chimpanzés são capazes de reconhecer membros de seu grupo pelo traseiro, afirma um estudo dos primatólogos Frans de Waal e Jennifer Pokorny, do Centro Nacional de Pesquisa sobre Primatas da universidade Emory, em Atlanta (Estados Unidos), publicado hoje na revista New Scientist.      De Waal e Pokorny fizeram uma experiência com seis chimpanzés adultos, aos quais fizeram relacionar, através de fotos, os rostos e os traseiros de outros exemplares, tanto machos quanto fêmeas.      Primeiro os cientistas mostraram aos primatas a foto de um traseiro, na qual se viam também os genitais, e depois dois rostos, ambos do sexo correspondente à imagem anterior.      Todos os chimpanzés que participaram da experiência, três machos e três fêmeas, puderam associar corretamente os rostos com as nádegas, apesar de só terem sido capazes de fazer isto com exemplares que conheciam.      Segundo os pesquisadores, a experiência demonstra que os chimpanzés constroem representações mentais de todo o corpo de seus companheiros.   Ao ver as fotos, os animais não buscaram apenas pistas nos traseiros que os levassem a identificar os rostos, mas foram capazes de evocar uma representação total, de corpo inteiro, de seus conhecidos, afirmam os cientistas.      Em outra experiência, De Waal e Pokorny colocaram à prova a habilidade dos chimpanzés de reconhecer o sexo de outros por seus rostos.      Primeiro mostraram aos animais a foto do traseiro de um chimpanzé macho ou fêmea, o que equivalia a um estímulo sexual.      Depois, mostraram a eles primeiríssimos planos do rosto de dois chimpanzés, um de cada sexo, e os incentivou a identificar a qual deles se associava a imagem anterior.      Os chimpanzés foram capazes de relacionar o rosto com seu sexo, embora, de novo, só com os exemplares que conheciam.      Segundo os autores da experiência, isto sugere - apesar da necessidade de mais estudos para comprovação - que os chimpanzés são capazes de fazer "construções de gênero", ou seja, reconhecer o sexo de outros não apenas por seus atributos físicos, mas por informações derivadas de sua experiência com estes exemplares no grupo.

Mais conteúdo sobre:
chimpanzécomportamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.