Chilena se tranca em jaula em protesto contra animais em circo

Protesto de 12 horas é parte da campanha 'Um circo Sem Animais' da organização AnimaNaturalis

Efe

08 Outubro 2008 | 17h05

Uma ativista da organização AnimaNaturalis se trancou nesta quarta-feira, 8, em uma pequena jaula diante da Catedral de Santiago, em um protesto de 12 horas contra o abuso e maus-tratos aos animais nos circos. "Os circos merecem respeito por sua tradição, mas devem transmitir valores às crianças, como o respeito à vida animal e se concentrar na arte e nas habilidades que os humanos têm", disse à Agência Efe Manuel López, diretor da AnimaNaturalis no Chile. O protesto, que mantém fechada em uma jaula de menos de um metro quadrado a jovem Andrea Cabrini, é parte da campanha Um circo Sem Animais. "Com a ativista fechada em uma jaula, queremos que o povo se ponha no lugar dos animais; nenhum de nós gostaria de estar trancados e os animais também não", disse Daniela Romero, membro da organização. A ONG há cinco anos realiza diversas atividades com o objetivo de estabelecer, defender e proteger os direitos de todos os animais do planeta. Não é a primeira vez que a AnimaNaturalis realiza campanhas de grande impacto, já que anteriormente vinham fazendo atividades nudistas onde seus integrantes se fechavam em uma jaula com placas que alertavam sobre maus-tratos a animais. Na semana passada, a AnimaNaturalis levou à Justiça o caso do circo mexicano Guadalajara, pelas más condições em que se encontram os animais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.