Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Carros elétricos vão ficar fora do rodízio em São Paulo

Incentivo publicado nesta quarta-feira, 28 pelo prefeito Fernando Haddad (PT), e anunciado durante o evento realizado na Fecomércio pode fazer a quantidade de carros elétricos e híbridos crescer

O Estado de S. Paulo

28 Maio 2014 | 22h06

SÃO PAULO - Eles ainda são poucos, mas um incentivo publicado nesta quarta-feira, 28 pelo prefeito Fernando Haddad (PT), e anunciado durante o evento realizado na Fecomércio, pode fazer a quantidade de carros elétricos e híbridos crescer em São Paulo. Lei promulgada por Haddad prevê que os donos desses automóveis receberão de volta a quota do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) concernente ao governo municipal - essa alíquota é cobrada pelo Estado. O benefício só deve valer para veículos que custem até R$ 150 mil.

Além disso, esses carros elétricos poderão ser desobrigados de respeitar o rodízio municipal, em vigor desde 1997. O projeto é de autoria do vereador Antonio Donato (PT).

A quantidade de carros elétricos no Brasil ainda é pequena. De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), em todo o ano passado, foram licenciados no País 491 veículos elétricos (incluindo os híbridos). Os chamados "flex fuel", que podem rodar com gasolina e álcool, somaram 3,169 milhões de unidades. Os movidos a gasolina foram 189 mil.

Mais conteúdo sobre:
Resíduos sólidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.