Caranguejos trocam sexo por proteção, conclui estudo

Pesquisadores australianos afirmam que em troca de sexo e outros benefícios, machos protegem suas vizinhas

AE-AP,

04 Novembro 2009 | 16h36

 

SYDNEY, Austrália - No mundo dos caranguejos-violinistas, a melhor forma de proteção para as fêmeas é, aparentemente, fazer sexo com seus vizinhos, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira. Pesquisadores da Universidade Nacional Australiana, em Camberra, concluíram que os machos dessa espécie não hesitam em defender as fêmeas contra invasores, em parte por saberem que isso resultará em uma recompensa envolvendo sexo.

 

"O fato de o vizinho vir e ajudar a defender" outro indivíduo de diferente território é "bastante inusual", notou Michael Jennions, que ajudou a conduzir o estudo. As conclusões da pesquisa foram publicados no periódico científico Biology Letters.

 

"O estudo mostra, pela primeira vez, que em troca de sexo e outros benefícios, machos protegem suas vizinhas fêmeas de machos invasores buscando território", disse Jennions. "O estudo fornece a primeira evidência de 'coalizões de defesa' entre machos territoriais e fêmeas."

 

Jennions e seus colegas da universidade Richard Milner e Patricia Backwell estudaram o comportamento dos caranguejos-violinistas em mangues do Moçambique, entre outubro e novembro de 2008. Os machos dessa espécie possuem duas grandes pinças para se defenderem, mas os pesquisadores queriam descobrir como as fêmeas, com duas pequenas garras, faziam para proteger suas casas.

 

Os cientistas transferiam caranguejos de outras partes para os buracos ocupados por outros, a fim de acompanhar as reações. Quando os buracos eram de fêmeas, em 95% das vezes os machos vizinhos foram combater os invasores. Já quando um macho invadia a moradia de outro macho, os vizinhos só foram ajudar em 15% das ocasiões.

 

O estudo sugere que os machos preferem ter as fêmeas por perto, em boa parte porque elas quase sempre farão sexo com os vizinhos, disse Jennions. Os pesquisadores também concluíram que as fêmeas fazem sexo com os vizinhos em troca de algum tipo de benefício. Nesse caso, parece ser pela proteção, concluiu o cientista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.