Caixa oferece bolsas de até R$ 500 mil para projetos ambientais

O Fundo Socioambiental (FSA) da Caixa Econômica Federal oferece R$13,8 milhões para apoiar projetos de recuperação de nascentes de água e de matas ciliares em bacias hidrográficas que servem ao abastecimento humano, para preservar a biodiversidade da Caatinga e para a gestão de resíduos sólidos.

Agência Brasil

06 Julho 2011 | 12h07

As instituições públicas ou privadas, sem fins lucrativos, registradas no Cadastro Nacional de Entidades Ambientalistas (Cnea), com projetos de recuperação hídrica, têm até 5 de agosto para se inscrever e participar da seleção para bolsas entre R$ 200 mil e R$ 500 mil. O prazo máximo para execução do projeto será de 18 meses.

O FSA anunciou que tem R$ 4 milhões para ajudar os projetos que visam a perenidade das nascentes de água e melhoria da qualidade dos mananciais, ao mesmo tempo em que o apoio técnico e financeiro a projetos similares contribui para uma relação de equilíbrio do homem com o meio ambiente, diz o informe da Caixa.

O FSA também vai selecionar projetos de proteção à biodiversidade da Caatinga, com recursos de R$ 6 milhões, e está com chamada pública aberta para projetos de gestão de resíduos sólidos de construção e demolição, para o qual destinará R$ 3,8 milhões.

Para projetos sobre eficiência energética e uso sustentável na Caatinga, as inscrições vão até 22 de agosto, e a seleção também é destinada a empresas públicas e privadas, sem fins lucrativos. No caso de gestão dos resíduos sólidos, as inscrições vão até 26 de agosto, e a seleção é aberta a consórcios públicos de prefeituras de pequenos municípios e para cidades com mais de 100 mil habitantes.

Criado no ano passado para promover a cidadania e o desenvolvimento sustentável, o FSA recebe até 2% do lucro real da Caixa para investir em projetos de inclusão social, de proteção da biodiversidade, bem como na geração de trabalho e renda. Para mais informações é só acessar www.caixa.gov.br/download - link "Fundo Socioambiental Caixa" e a chamada pública desejada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.