Cai taxa anual de desmatamento do Cerrado

Bioma é um dos mais ameaçados do país e já perdeu 48,5% da cobertura original - quase 1 milhão de km²

Agência Brasil

13 Setembro 2011 | 11h49

BRASÍLIA - A taxa anual de desmatamento do Cerrado, que era 7,6 mil quilômetros quadrados (km²) por ano entre 2008 e 2009, caiu para 6,4 mil km² por ano entre 2009 e 2010. Apesar da queda no ritmo da derrubada, o bioma é um dos mais ameaçados do país e já perdeu 48,5% da cobertura original - quase 1 milhão de km².

 

O novo diagnóstico da situação do Cerrado foi divulgado nesta terça-feira, 13, pelo Ministério do Meio Ambiente. De acordo com o levantamento, a devastação no Cerrado está concentrada nos estados do Maranhão e do Tocantins e no oeste da Bahia.

 

Entre 2009 e 2010, o estado que mais desmatou o Cerrado foi o Maranhão, com 1.587 mil km² a menos de vegetação nativa no período. O Piauí aparece em seguida, com 979 km² de novos desmatamentos, e o Tocantins, com 970 km².

 

Dos 20 municípios campeões de desmatamento do Cerrado no período, sete são maranhenses.

 

Nos últimos dias, o bioma tem sido devastado por queimadas, comuns nesta época do ano por causa da estiagem e da baixa umidade do ar.

 

Com área de 204 milhões de hectares, equivalente aos territórios de Portugal, da Espanha, França, Alemanha e Suécia juntos, o bioma já perdeu quase 100 milhões de hectares de sua vegetação nativa, o equivalente a cerca de 50% da cobertura original.

Mais conteúdo sobre:
cerrado desmatamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.