AP
AP

Cachorro recebe medalha póstuma como herói de guerra no Afeganistão

Theo acompanhava o militar Liam Tasker, também morto em serviço durante a guerra

Efe

26 Outubro 2012 | 13h31

LONDRES - Um cachorro rastreador de explosivos recebeu nesta quinta-feira, 25, uma medalha póstuma como herói de guerra após morrer no ano passado junto com um soldado britânico em uma operação no Afeganistão.

Theo, como se chamava o cão, recebeu no quartel de Wellington de Londres a medalha PDSA Dickin, o máximo reconhecimento no Reino Unido à "dedicação" de qualquer animal na tarefa de salvar vidas humanas durante conflitos bélicos.

O cachorro morreu horas depois que o militar junto com quem patrulhava, Liam Tasker, de 26 anos, falecesse por disparos de insurgentes no dia 1º de março do ano passado na província de Helmand (Afeganistão).

A dupla, considerada "inseparável", conseguiu localizar o número recorde de 14 bombas dos talibãs em um período de cinco meses.

O reconhecimento a Theo chega depois que Tasker, que servia como cabo no regimento veterinário da Marinha britânica, recebesse de maneira póstuma a Ordem do Império Britânico em setembro de 2011.

A mãe do militar falecido, Jane Duffy, descreveu o cachorro como o melhor amigo de seu filho e disse que trabalhavam juntos 24 horas por dia no Afeganistão.

"Liam já tinha sido reconhecido, por isso é muito lindo que Theo receba sua medalha e que seu valor também seja reconhecido", disse Jane.

Por sua parte, o coronel Neal Smith declarou que era "uma honra para o corpo veterinário do Exercito britânico" e que este prêmio "não só reconhece um cachorro muito especial, mas também a contribuição de todos os animais que trabalham em nossa equipe na localização de bombas e explosivos".

Theo é o 28º cachorro que recebe a medalha Dickin, entregue desde 1943 pela Associação Beneficente de Veterinários, fundada por Maria Dickin.

Mais conteúdo sobre:
Cachorro cão guerra Afeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.