STEPHANE DE SAKUTIN/AFP
STEPHANE DE SAKUTIN/AFP

Caça high-tech é uma ameaça a rinocerontes da África

O ano de 2010 foi desastroso para a conservação de rinocerontes. Há uma demanda crescente no mercado negro pelo chifre do animal – usado na medicina tradicional asiática e considerado afrodisíaco. A África do Sul perdeu neste ano quase um rinoceronte por dia – foram 316 mortes no total, enquanto em 2009 foram 122.

O Estado de S. Paulo

28 Dezembro 2010 | 13h34

 

Com o pó do chifre valendo mais que ouro, a lucrativa caça ilegal do animal na África do Sul utiliza alta tecnologia para ser bem sucedida. Joseph Okori, coordenador africano de rinocerontes na ONG WWF, conta que “sindicatos bem organizados do crime” utilizam helicópteros, equipamentos de visão noturna, tranquilizantes veterinários e silenciadores para caçar suas presas durante a noite. “Eles operam de forma muito high-tech. Isso não é algo normal na caça”, afirma.

 

O país é lar de mais de 70% dos rinocerontes do mundo. Ambientalistas estimam que existam cerca de 25 mil rinocerontes, com suas espécies ameaçadas de extinção – os de Java e Sumatra estão classificados como criticamente ameaçados e o Indiano está vulnerável.

Mais conteúdo sobre:
Rinocerontes Caça Extinção

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.