Brown quer que acordo climático seja obrigatório em 6 meses

Primeiro-ministro britânico pede que países se comprometam a efetuar cortes maiores de emissões de CO2

Efe,

07 Dezembro 2009 | 09h37

O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, pediu nesta segunda-feira, 7, aos Governos de todo o mundo para aprovar em Copenhague um acordo sobre a mudança climática que "em seis meses no máximo se transforme em um tratado legalmente obrigatório".

Veja também:

linkConferência climática da ONU começa em Copenhague

linkCOP deve responder a desafio ambicioso, diz líder do encontro

linkFundo ambiental terá R$ 1 bi dos lucros do petróleo, diz Minc 

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especialEntenda as negociações do novo acordo  

 

Em artigo publicado no jornal The Guardian, o líder trabalhista afirma que os Governos devem se comprometer a efetuar maiores cortes nas emissões de dióxido de carbono (CO2) de seus respectivos países e garantir maiores fundos para que os pobres possam se adaptar à mudança climática.

 

"Precisamos assegurar em Copenhague que todos os países chegam ao teto de suas ambições (em relação ao compromisso de reduzir as emissões que causam o efeito estufa) e permitir que outros possam fazê-lo em processo de reforço mútuo", escreve Brown.

 

Ele lembra que na recente reunião dos países da Commonwealth (comunidade britânica de nações) ele mesmo propôs, e os outros participantes concordaram, o início a partir do próximo ano de um fundo especial de ajuda econômica aos países pobres, que daqui até 2012 deveria chegar a US$ 10 bilhões anuais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.