Brasileiros entendem mais sobre biodiversidade

Pesquisa coloca Brasil na posição de líder mundial à frente de países europeus

Alice Lobo*,

26 Maio 2010 | 11h17

“Biodiversidade é a variedade de vida na Terra e os padrões naturais que ela forma.” Você sabia disso? Pois é, 94% dos brasileiros disseram que sabem ou tem noção do que quer dizer biodiversidade e metade deles realmente conheciam o significado exato desta palavra.

 

Isto colocou o Brasil na posição de líder mundial sobre entendimento do conceito de biodiversidade à frente da Alemanha, França, Inglaterra e Estados Unidos.

 

Este foi um dos resultados que a Union for Ethical BioTrade obteve da pesquisa encomendada para a Ipsos sobre este conceito e realizada anualmente desde o ano passado. A novidade é que o Brasil foi incluído em 2010 ao lado dos países acima citados. Foram entrevistados 5 mil consumidores franceses, ingleses, alemães, norte-americanos e brasileiros.

 

Batizada de Barômetro da Biodiversidade 2010, a pesquisa ainda revelou que mulher sabe mais sobre biodiversidade que homem, assim como pessoas com maior nível social e profissional também.

 

Se agrupados os países europeus e os Estados Unidos, somente 60% dos entrevistados já ouviram falar sobre biodiversidade (contra os 94% dos brasileiros). Além disso, 73% dos consumidores nacionais já ouviram falar sobre biopirataria, contra 23% dos Estados Unidos e Europa.

 

A pesquisa abordou outros conceitos de comércio ético nos cinco países participantes. O que chamou a atenção principalmente foi que 94% dos consumidores europeus e norte-americanos conhecem o conceito de comércio justo e se preocupam em saber se os produtos são feitos a partir dos princípios de Fair Trade. O segundo e o terceiro conceito mais conhecido por eles são o de “perda de espécies” (89% dos entrevistados) e “desenvolvimento sustentável” (82%).

 

Já o consumidor brasileiro demonstrou maior conhecimento também em outras questões e conceitos: 98% sabem o que é “perda de espécies”; 93%, “conservação da biodiversidade”; 92% o que é “desenvolvimento sustentável”; porém somente 79% sabem o que é comércio justo.

 

Outro ponto importante revelado pelo Barômetro da Biodiversidade 2010 é que os consumidores querem ser informados a respeito de como as empresas compram seus ingredientes naturais. No Brasil, 98% se dizem preocupados com isso contra 86% dos europeus e norte-americanos, quando perguntados sobre o setor de alimentos (número que varia muito pouco referente ao setor de cosméticos).

 

Os entrevistados também disseram que acreditam mais em empresas e produtos que levam selos de certificadoras, ou seja, um órgão independente. E 94% dos brasileiros afirmam que parariam de comprar um produto de higiene pessoal ou cosmético se soubesse que a empresa que produz não cuida do meio ambiente ou não segue práticas de comércio ético em seus processos de abastecimento.

 

Esse número cai para 89% quando se refere aos alimentos. Entre consumidores europeus e americanos este número cai bastante para 81% referente à indústria de cosmético e 78%, de alimentos.

 

A pesquisa ainda retrata a preocupação de empresas de cosméticos com a biodiversidade. Das 100 maiores, 52 divulgam práticas de sustentabilidade, somente 21 mencionam sobre biodiversidade, 12 divulgam as práticas de abastecimento de biodiversidade e somente 3 mencionam questões claramente relacionadas à biodiversidade como conhecimento tradicional e direitos de propriedade intelectual. As 20 maiores empresas são as que mais divulgam e fornecem informações como as mencionadas acima.

 

Ao contrário do que muitos consumidores podem pensar, as empresas entrevistadas que estão comprometidas com o uso de ingredientes orgânicos e naturais raramente mencionam o abastecimento ético da biodiversidade - prática diretamente ligada à essa filosofia.

 

Contudo isto não quer dizer que elas não se preocupam com isso de fato e sim que não acham importante divulgar, seja porque acham que está intrínseco no seu negócio ou por outro motivo.

 

A conclusão da pesquisa são muitas, mas foram ressaltadas quatro delas:

 

1) Biodiversidade é uma tendência emergente. Do ano passado para este, o percentual de consumidores europeus e norte-americanos que têm consciência sobre o conceito aumentou em 4 pontos.

 

2) Por vivermos em um país rico em biodiversidade, o brasileiro tem um nível de compreensão mais elevado sobre o assunto do que os outros.

 

3) As empresas de cosméticos e alimentos devem se preocupar com suas práticas de abastecimento de biodiversidade pois o consumidor está de olho nisso.

 

4) Por 2010 ser o Ano Internacional da Biodiversidade, os consumidores ficarão ainda mais conscientes e haverá grande incentivo às empresas para aderirem à este conceito ético.

 

*Do blog Verdinho Básico.

Mais conteúdo sobre:
planeta sustentabilidade biodiversidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.