Brasil terá dificuldades para conter desmatamento, diz ministra

Em abertura de seminário, Marina Silva disse que o governo precisa ser mais ágil para manter índices negativos

da Redação, estadao.com.br

05 de maio de 2008 | 15h06

A ministra de Meio Ambiente, Marina Silva, afirmou nesta segunda-feira, 5, que o País terá dificuldades para conter o desmatamento e manter essa diminuição no índice de derrubada de árvores por três anos seguidos. Ela estava na abertura do 1º Seminário Nacional de Combate à Desertificação, em Brasília.   Veja também:  Amazônia: ainda há tempo?    "É um período difícil, com estiagem que se prolongou. Período em que tivemos elevação de preços de algumas commodities agrícolas e, ao mesmo tempo, um período eleitoral, em que a ação de fiscalizar e combater fica sem reflexo nos espaços locais", afirmou a ministra.   Segundo Marina, o governo federal terá que "ter mais agilidade e capacidade de resposta" para manter os índices negativos de desmatamento. "Temos que interagir mais fortemente com os setores que estão atuando em conjunto, como Ibama, Polícia Federal, Exército, Polícia Rodoviária Federal e os agentes locais", disse.   A ministra apontou as contribuições de algumas medidas do governo contra os municípios para a diminuição do desmatamento na Amazônia. Essas localidades estão impedidas, por exemplo, de contrair empréstimos públicos.   "Foram tomadas medidas fortes, como a moratória aos 36 municípios [da Amazônia] que mais desmatam, a resolução do Conselho Monetário que proíbe crédito para áreas ilegalmente desmatadas, a criminalização da cadeia produtiva para quem desmata, produz e compra produto de áreas ilegalmente desmatada. Com isso, esperamos uma redução do desmatamento."   (Com informações da Agência Brasil)

Tudo o que sabemos sobre:
Marina LimadesmatamentoAmazônia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.