Brasil proporá fundo climático para ajudar países pobres

A proposta é uma tentativa de soprar vida nova nas conversações globais sobre mudança climática

Reuters,

21 Janeiro 2010 | 15h44

O Brasil vaio propor a criação de um fundo conjunto com Índia, China e África do Sul para ajudar países pobres a adaptarem-se á mudança climática, como parte de uma tentativa ampla de reviver as negociações sobre o aquecimento global.

 

Nova discussão sobre clima será marcada para fim de janeiro

 

O ministro de Meio Ambiente, Carlos Minc, disse que fará a proposta numa cúpula envolvendo as quatro nações emergentes, marcada para o fim de semana em Nova Délhi.

 

"O objetivo será ajudar os muito pobres a se adaptarem", disse Minc, acrescentando que a China já expressou interesse no projeto.

 

A proposta é uma tentativa de soprar vida nova nas conversações globais sobre mudança climática, depois que a cúpula de Copenhague fracassou em produzir um acordo definitivo. Brasil, África do Sul, Índia e China - um grupo apelidado de "Basic" - chegou a um acordo, não-obrigatório, com os EUA na capital dinamarquesa.

 

Mas diversos países pobres dizem que as nações ricas e industrializadas não estão oferecendo um corte suficiente de emissões de CO2, e expressam o temor de não receber tecnologias necessárias para enfrentar as mudanças no clima.

 

A reunião de Nova Délhi tentará oferecer soluções concretas para os países pobres, mas também destacar a necessidade de que os países ricos se esforcem mais, disse Minc.

 

"Os recursos que ofereceremos chamarão a atenção para a forma como estão fugindo de suas responsabilidades", afirmou ele, sem citar números.

 

Países ricos prometeram US$ 30 bilhões em fundos para a mudança climática no período 2010-2012, e fixaram a meta de US$ 100 bilhões até 2020, muito menos do que pediam os países em desenvolvimento.

 

Minc disse que um fracasso do Senado dos EUA em aprovar uma lei de controle das emissões de gases causadores do efeito estufa poderá reduzir ainda mais as chances de um acordo pós-Copenhague e manchar a liderança do presidente Barack Obama na questão.

 

Os países do bloco Basic tentarão encontrar uma posição comum na questão da transferência de tecnologia. Minc propõe medidas para a criação de parcerias em que os países pobres recebam acesso á tecnologia e assistência para usá-la.

 

Países como Austrália, Canadá e EUA deveria m transferir para países como China e Índia, de imediato, tecnologia para o aprisionamento de carbono no subsolo, afirmou o ministro.

Mais conteúdo sobre:
minc clima basic

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.