Brasil poderia fazer 8 bilhões por ano com lixo reciclado

MMA estuda política de Pagamento por Serviços Ambeintais Urbanos a catadores

Karina Ninni, estadao.com.br

17 Maio 2010 | 12h36

Estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em parceria com o Ministériodo Meio Ambiente (MMA), aponta que o Brasil poderia ter benefícios da ordem de R$ 8 bilhões por ano se fizesse a reciclagem de todos os resíduos recicláveis que são encaminhados aos lixões e aterros. Atualmente, a coleta seletiva gera benefícios que variam de R$ 1,4 bilhão a R$ 3,3 bilhões anuais.

 

O documento deverá servir de base para estabelecer uma política de Pagamento por Serviços Ambientais Urbanos (PSAU) pelo Ministério do Meio Ambiente, em que as cooperativas de catadores devem desempenhar papel fundamental. “O estudo nos deu a base para trabalhar. Há um mercado enorme e existe 1 milhão de catadores no Brasil todo”, diz a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

 

Só na cadeia do plástico, os benefícios poderiam subir do atual teto máximo de R$ 1 bilhão para R$ 5 bilhões por ano.

 

Um Grupo de Trabalho foi criado para discutir as medidas legais e institucionais necessárias à implementação da política de PSAU e deve começar a trabalhar em 40 dias.

 

“Estamos estudando a melhor forma de levar a política adiante. Se vamos trabalhar com preço fixo para cada categoria de material, se vamos fornecer crédito para que as cooperativas se profissionalizem”, adianta a ministra.

Mais conteúdo sobre:
lixo, reciclagem, mercado, PSAU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.