GABRIELA BILO/ESTADAO
GABRIELA BILO/ESTADAO

'Brasil não pode abrir mão nem de R$ 1', diz Maia sobre recursos do G-7 para a Amazônia

'Nós temos de receber os recursos e ter regras em um País soberano como nosso, da execução desses recursos', diz o presidente da Câmara. Casa pode votar nesta terça projeto que remunera proprietários rurais pela manutenção da floresta

Renato Onofre e Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2019 | 17h52

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta terça-feira, 27, que o Brasil deve aceitar o recurso oferecido pelos países que fazem parte do G-7 para o combate aos incêndios na Amazônia. "Acho que o Brasil não pode abrir mão nem de um real. A situação do orçamento federal, de Estados e municípios é dramática", disse. "Nós temos de receber os recursos e ter regras em um País soberano como o nosso, da execução desses recursos. Isso é importante", disse.

Maia afirmou ainda que o conflito acabou "indo para o lado pessoal". Nos últimos dias o presidente da República, Jair Bolsonaro, trocou farpas com seu par francês, Emmanuel Macron. Ainda sobre a Amazônia, Maia voltou a afirmar que está na expectativa para a liberação de recursos da Petrobrás para o meio ambiente.

Ele disse ainda que a crise tem impactos no projeto de lei sobre o Licenciamento Ambiental. "Essa polêmica nos obriga a dar mais transparência à discussão do licenciamento ambiental", disse.

Projeto que remunera proprietários rurais pela manutenção da floresta pode ser votado nesta terça

A Câmara deve votar nesta terça a urgência do projeto que remunera proprietários rurais pela manutenção de florestas. Os deputados vão tentar votar o mérito da matéria também nesta terça-feira.

Segundo a líder da minoria, Jandira Feghali (PCdoB-RJ), a oposição não deve obstruir o tema. No entanto, o plenário precisa resolver ainda outra matéria que está trancando a pauta, sobre peritos do INSS.

O presidente da Comissão do Meio Ambiente, Rodrigo Agostinho (PSB-SP), disse que o projeto sobre a remuneração que deve ser levado ao plenário reúne o relatório do deputado Camilo Capiberibe (PSB-AP), com um outro projeto do deputado Arnaldo Jardim (Cidadania-SP).

Ainda sobre a questão ambiental, lideranças da Câmara discutem a possibilidade de levar o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, para uma comissão de debate na semana que vem no plenário da Câmara. Ainda não está decidido se Salles será convidado ou convocado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.