Brasil, Índia e China têm minuta comum para Copenhague

Países já apresentaram metas voluntárias de redução de emissões de CO2 e negociarão juntos na cúpula

Efe,

07 Dezembro 2009 | 10h32

O Brasil, a Índia e a China dispõem de uma minuta comum de negociação para discutir cortes em suas emissões de gases durante a cúpula em Copenhague, disse nesta segunda-feira, 7, o ministro do Meio Ambiente indiano, Jairam Ramesh.

 

Veja também:

linkEUA e China seguiram Brasil em meta para o clima, diz Lula 

linkConferência climática da ONU começa em Copenhague

linkCOP deve responder a desafio ambicioso, diz líder do encontro

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especialEntenda as negociações do novo acordo   

blog A Antártida que vai a Copenhague

 

"Índia, China e Brasil têm uma minuta básica. Tenho uma cópia da minuta básica (...) para formar as negociações", disse nesta segunda-feira Ramesh durante uma sessão de controle na Câmara Alta indiana, em declarações citadas pela agência Ians.

 

Ramesh viajará nesta terça-feira a Copenhague para participar da cúpula do clima, realizada entre esta segunda-feira e o próximo dia 18 na capital dinamarquesa, e que contará com a participação de dezenas de líderes mundiais, entre eles o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh.

 

Até o momento, a Índia prometeu uma redução voluntária de entre 20% e 25% na intensidade de suas emissões até 2020, e afirmou que estas "nunca serão maiores que as dos países desenvolvidos", nas palavras do próprio ministro.

 

Ramesh protagonizou nesta segunda-feira um debate acalorado com deputados da oposição conservadora, que acusou o Governo de dar um giro em sua política climática, com o anúncio da redução relativa de emissões.

 

"Não comprometemos o interesse nacional da Índia", disse o ministro, após garantir que o corte divulgado por seu país não será "vinculativo internacionalmente".

 

Suas explicações não convenceram os senadores do conservador Bharatiya Janata Party, que saíram da Câmara para expressar sua insatisfação com o Governo e foram seguidos pelos comunistas e deputados de outras legendas menores.

Mais conteúdo sobre:
Brasil India China ONU clima Copenhague

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.