Marcos Corrêa/PR
Marcos Corrêa/PR

Brasil é 'virgem que todo tarado de fora quer', diz Bolsonaro sobre Amazônia

Presidente fez afirmação ao comentar preocupação de europeus com desmatamento, antes de emendar: 'Me desculpem aqui as mulheres,ok?'

Fabrício de Castro, O Estado de S. Paulo

06 de julho de 2019 | 23h31

BRASÍLIA - O presidente da República, Jair Bolsonaro, demonstrou irritação na noite de hoje ao responder perguntas de jornalistas sobre a preservação da Amazônia. Na saída do Palácio da Alvorada, após cumprimentar simpatizantes, ele afirmou que, “na cabeça dos europeus”, a Amazônia não pertence ao Brasil. Ele também comparou o País a uma virgem que “todo tarado quer”.

“Sabe o que é ‘triplo A’?”, perguntou Bolsonaro aos jornalistas. “É Andes, Amazônia e Atlântico. (São) 136 milhões de hectares. E o primeiro mundo quer para ele a administração destas áreas”, disse.

Bolsonaro criticou ainda a postura de presidentes que o sucederam em reuniões internacionais, como a do G-20, ocorrida no fim de junho no Japão. Segundo ele, seus antecessores retornavam dos encontros e promoviam a demarcação de “dezenas de áreas indígenas”.

“Você consegue imaginar o tamanho da Região Sudeste?”, questionou Bolsonaro. “Uma área maior do que isto está reservada para índio. O índio não tem poder de lobby. Quem faz a demarcação, se não tem poder de lobby? É ONG (Organização Não-Governamental), grana de fora do Brasil.”

Para o presidente, o que o “outro mundo” quer é preservar estas áreas para exploração no futuro. Bolsonaro criticou ainda as discussões que ocorrem no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU) para a autodeterminação dos povos indígenas. De acordo com o presidente, a intenção é criar “novos países dentro do Brasil”.

“Uma cidade com 9 mil habitantes é uma cidade pequena”, pontuou Bolsonaro, para tratar em seguida da situação dos índios ianomâmis no Brasil. “A área dos ianomâmis é duas vezes o tamanho do Rio de Janeiro.”

Bolsonaro afirmou ainda que o presidente da República não deve se submeter, no exterior, aos “caprichos” de quem quer criar novos países dentro do Brasil.

Bolsonaro também voltou a afirmar que fez um convite ao presidente da França, Emmanuel Macron, e à chanceler da Alemanha, Angela Merkel, para que eles sobrevoem o Brasil, na área entre Boa Vista e Manaus. “Se encontrarem um hectare de devastação de terra, eles têm razão”, disse Bolsonaro, em referências às preocupações dos dois países em relação à preservação da Amazônia. “Essa é a grande realidade. O Brasil é uma virgem que todo tarado de fora quer”, afirmou o presidente, para depois acrescentar: “Me desculpem aqui as mulheres,ok?”

Além dos jornalistas, estavam presentes à portaria do Palácio da Alvorada, quando Bolsonaro falava, vários simpatizantes do presidente, alguns com crianças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.