Marcos Corrêa/PR
Marcos Corrêa/PR

Brasil é 'virgem que todo tarado de fora quer', diz Bolsonaro sobre Amazônia

Presidente fez afirmação ao comentar preocupação de europeus com desmatamento, antes de emendar: 'Me desculpem aqui as mulheres,ok?'

Fabrício de Castro, O Estado de S. Paulo

06 de julho de 2019 | 23h31

BRASÍLIA - O presidente da República, Jair Bolsonaro, demonstrou irritação na noite de hoje ao responder perguntas de jornalistas sobre a preservação da Amazônia. Na saída do Palácio da Alvorada, após cumprimentar simpatizantes, ele afirmou que, “na cabeça dos europeus”, a Amazônia não pertence ao Brasil. Ele também comparou o País a uma virgem que “todo tarado quer”.

“Sabe o que é ‘triplo A’?”, perguntou Bolsonaro aos jornalistas. “É Andes, Amazônia e Atlântico. (São) 136 milhões de hectares. E o primeiro mundo quer para ele a administração destas áreas”, disse.

Bolsonaro criticou ainda a postura de presidentes que o sucederam em reuniões internacionais, como a do G-20, ocorrida no fim de junho no Japão. Segundo ele, seus antecessores retornavam dos encontros e promoviam a demarcação de “dezenas de áreas indígenas”.

“Você consegue imaginar o tamanho da Região Sudeste?”, questionou Bolsonaro. “Uma área maior do que isto está reservada para índio. O índio não tem poder de lobby. Quem faz a demarcação, se não tem poder de lobby? É ONG (Organização Não-Governamental), grana de fora do Brasil.”

Para o presidente, o que o “outro mundo” quer é preservar estas áreas para exploração no futuro. Bolsonaro criticou ainda as discussões que ocorrem no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU) para a autodeterminação dos povos indígenas. De acordo com o presidente, a intenção é criar “novos países dentro do Brasil”.

“Uma cidade com 9 mil habitantes é uma cidade pequena”, pontuou Bolsonaro, para tratar em seguida da situação dos índios ianomâmis no Brasil. “A área dos ianomâmis é duas vezes o tamanho do Rio de Janeiro.”

Bolsonaro afirmou ainda que o presidente da República não deve se submeter, no exterior, aos “caprichos” de quem quer criar novos países dentro do Brasil.

Bolsonaro também voltou a afirmar que fez um convite ao presidente da França, Emmanuel Macron, e à chanceler da Alemanha, Angela Merkel, para que eles sobrevoem o Brasil, na área entre Boa Vista e Manaus. “Se encontrarem um hectare de devastação de terra, eles têm razão”, disse Bolsonaro, em referências às preocupações dos dois países em relação à preservação da Amazônia. “Essa é a grande realidade. O Brasil é uma virgem que todo tarado de fora quer”, afirmou o presidente, para depois acrescentar: “Me desculpem aqui as mulheres,ok?”

Além dos jornalistas, estavam presentes à portaria do Palácio da Alvorada, quando Bolsonaro falava, vários simpatizantes do presidente, alguns com crianças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.