Brasil, China, Índia e África do Sul lançam proposta conjunta

Acordo contraria documento apresentado pela Dinamarca, que propõe redução de 50% das emissões até 2050

Fernanda Fava,

01 Dezembro 2009 | 19h53

Brasil, China, Índia e África do Sul apresentaram nesta terça-feira uma proposta conjunta de combate ao aquecimento global para ser levada à Conferência do Clima em Copenhague, que começa no dia 7 de dezembro. A proposta contraria o documento apresentado pela Dinamarca, que propõe uma redução de 50% das emissões de gases de efeito estufa até 2050 (com base nos níveis de emissão de 1990). Represetantes dos quatro países estabeleceram sua proposta em uma reunião preparatória em Copenhague, da qual participaram também nações desenvolvidas. "Há duas posições diferentes sobre a mesa e o processo agora é ver se há algum terreno comum",  disse o negociador-chefe da África do Sul, Alf Wills, à Associated Press. Ele se recusou a dar detalhes da proposta.

 

Uma das questões chave é como dividir a responsabilidade pela redução das emissões a nível mundial. Parte dos países em desenvolvimento se negam a se comprometer com metas mensuráveis. A Organização das Nações Unidas (ONU) espera que os negociadores cheguem a um acordo que inclui os

Estados Unidos (que não ratificaram o Protocolo de Kyoto, de 1997) e os países em desenvolvimento como a China e a Índia. 

 

Wills descreveu a reunião de Copenhague nesta terça-feira como "uma consulta informal para tentar encontrar um caminho a seguir". Na segunda-feira, o ministro indiano do Meio Ambiente, Jairam Ramesh, afirmou que a proposta dinamarquesa é "totalmente inaceitável". Representantes dinamarqueses se recusaram a comentar. Eles disseram que o documento era apenas uma consulta aos principais interessados antes da conferência. (Com informações da Associated Press)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.